Senado libera 35% dos servidores do controle biométrico

A fachada do Congresso Nacional: insatisfação com a fábrica de projetos de lei desagrada tanto a base governista quanto a oposição

A fachada do Congresso Nacional: camaradagem com os funcionários (Rodolfo Stuckert/Agência Câmara)
A absoluta ausência de fiscalização, aliada ao apego de alguns políticos ao dinheiro público, não para de produzir histórias espantosas no Congresso Nacional. A mais recente foi revelada em reportagem desta quarta-feira do jornal O Estado de S. Paulo: 35% dos servidores do Senado são dispensados do controle de presença por meio do sistema biométrico – implantado em abril de 2011 justamente após o escândalo provocado pela existência de funcionários fantasmas na Casa, em 2009.
O registro de presença destina-se a todos os servidores da área legislativa e administrativa. Além de cargos de direção, estão dispensados de registrar a presença pelo ponto biométrico funcionários de escritórios de apoio nos estados – mesmo critério adotado agora pela Assembleia Legislativa paulista. Os senadores também podem pedir a isenção do registro, a seu critério. O sistema biométrico custou cerca de 1,1 milhão de reais aos cofres públicos.
Fonte: veja Online
Extratos dos Jornais

Deixe um comentário