Sem parcelamento, governo trabalha com déficit entre R$ 70 bi e R$ 75 bi

JC-Levy-20151022-1

A Casa Civil da Presidência da República informou na noite desta quinta-feira (22) que o governo “acha mais seguro” incluir na revisão da meta, que será anunciada amanhã (23), os pagamentos atrasados do Tesouro Nacional com os bancos públicos.

De acordo com órgão, o governo tomou essa decisão após receber a sinalização de que o Tribunal de Contas da União (TCU) não vai admitir o parcelamento das dívidas do Tesouro Nacional com os bancos públicos. Com isso, segundo a Casa Civil, o déficit primário ficará entre R$ 70 bilhões e R$ 75 bilhões.

Na parte da tarde, o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, havia informado que a meta fiscal do Orçamento deste ano ficaria deficitário em R$ 50 bilhões, mas sem incluir os passivos do Tesouro Nacional com os bancos, questionados pelo TCU.

Segundo a Casa Civil, o passivo com os bancos públicos está em cerca de R$ 40 bilhões. E o governo vai tentar incluir outros abatimentos ou outras receitas com o objetivo de fazer com que o déficit não cresça, informou a assessoria.


Leia mais:


 

Copom mantém juros básicos em 14,25% ao ano


Governo encontra rombo de R$ 50 bilhões nas receitas de 2015


Na Suécia, Dilma diz que “Levy fica” no Ministério da Fazenda


 

 

Fonte: ,

Deixe um comentário