Saúde alerta para os cuidados na hora de comprar a ceia de fim de ano

Ao final do mês de dezembro, as famílias se reúnem para comemorar o Natal e o Ano Novo e, tradicionalmente, realizarem as ceias que marcam a passagem destas datas. Assim, para que as festividades aconteçam sem possíveis imprevistos, a Subsecretaria de Vigilância à Saúde (SVS) aponta quais os cuidados se deve ter na hora da compra dos alimentos que fazem parte destas celebrações.

 Segundo o gerente de alimentos da SVS, André Godoy, nesta época do ano a pasta reforça os monitoramentos em padarias e supermercados, além das análises laboratoriais realizadas pelo Laboratório Central (Lacen) do Distrito Federal em castanhas e frutas cristalizadas. Estas medidas visam proteger a população dos riscos de comprar alimentos em locais que não atentam ao cumprimento do Manual de Boas Práticas de Manipulação de Alimentos.

 “É comum neste período as pessoas não se atentarem aos detalhes na hora de comprar os alimentos que irão compor a ceia. Isso pode acontecer por diversos motivos, entre eles: a pressa ao ir no supermercado, a quantidade de gente comprando ao mesmo tempo nos estabelecimentos e a consequente impaciência”, explica André.

 

 CUIDADOS – De acordo com o gerente, a população deve atentar para alguns requisitos no momento da seleção dos itens que farão parte da mesa de Natal e Ano Novo.

 André ressalta que um dos pontos mais importantes é saber de onde vem as carnes vendidas em açougues de supermercados ou em locais de abate, como, também, a origem de lacticínios. “É relevante sabermos a procedência do que vamos ingerir, principalmente quando se trata de um alimento que pode trazer risco de infecção. O intuito disso é verificar se é um alimento realmente fresco”, destaca.

 Outro item que merece destaque são as embalagens. É recomendável que a pessoa verifique se estão intactas; sem deformação, principalmente, se for lata e se há formação de gelo, pois isto indica que o alimento já foi descongelado mais de uma vez.

 Além disso, o gerente de alimentos diz que outro ponto a ser considerado é a temperatura de armazenamento dos frios que devem estar guardados até 5°C e devem ser fatiados, preferencialmente, na presença do consumidor. Desta forma, deve haver cuidado no momento do transporte dos alimentos de um local para o outro.

 Para peixes, André afirma que o cliente deve atentar para a coloração e textura da carne. “Neste caso, as guelras devem estar avermelhadas, os olhos têm que apresentar brilho nas órbitas e as escamas não podem estar caindo. Se for bacalhau, é imprescindível que ele esteja seco”, completa.

 PRODUTOS PRONTOS – Para produtos prontos, a população deve reparar se estes estão novos e dar preferência de compra para locais que o cliente saiba a procedência e qualidade do alimento. É recomendável que ao adquirir a ceia já pronta em locais como padaria e supermercado, a pessoa procure saber se o estabelecimento tem práticas de rotisseria ou de restaurante.

 Quando os alimentos forem entregues, devem estar refrigerados ou quentes, com temperatura acima de 60°C.