Samsara – dê o salto quântico

Nascer, morrer, renascer ainda, evoluir sempre, como ensinou Leon Denis, ou apenas nascer, morrer e renascer? Os indus chamam o mundo de samsara porque as pessoas apenas rodam, rodam e param no mesmo lugar. Desta maneira, fica-se sempre neste Vale de Lágrimas, se opondo à Lei de Progresso, que manda todos crescerem até atingirem a estatura de Cristo, como ensinou o apóstolo Paulo na Epístola aos Hebreus.

Mas, por que o homem não sai deste ciclo de nascimento, morte e renascimento? Porque a vida só é vista como oportunidade para enriquecimento material. Assim sendo, a alma retorna com a mesma pobreza de quando aqui chegou. Trabalhar o lado espiritual para que se saia deste ciclo é que o Mestre Osho chama de salto quântico. Após o salto quântico, não se retorna mais, e fica-se liberado da roda dos renascimentos.

Para escapar de sansara, experimentamos todas as condições a fim de que haja desenvolvimento integral. Nascemos pobres, ricos, feios, lindos, saudáveis, doentes, em países ricos, em países pobres, homem, mulher, morremos na infância, na idade adulta, na velhice, às vezes cultos, às vezes analfabetos, até que desenvolvamos Sabedoria e Amor e nos tornemos auxiliares do Criador.

O príncipe de hoje é o mendigo de amanhã. O mendigo de hoje é o príncipe de amanhã. O demônio de hoje é o anjo de luz de amanhã. O homem lindo e sedutor de hoje é a mulher feia de amanhã. A mulher linda e sedutora de hoje é o homem feio de amanhã.

Em tudo há sabedoria oculta regendo nossas vidas. Descubra você também e seja feliz em qualquer situação. Jesus, estimulando-nos a busca da verdade, afirmou: “nada há oculto que não venha a ser revelado”. E o Mestre Pietro Ubaldi chamou Deus de Deus-Lei. Ou seja, o conhecimento de Deus é o conhecimento de suas leis: Lei de Progresso, Lei de Solidariedade, Lei do Carma, Lei dos Afins, etc.

Desenvolva o seu lado espiritual, saia de sansara, dê o salto quântico, e siga com os mestres do Oriente: “Caminhe, até que não haja mais nem o caminho e nem o caminhante, e só exista o caminhar”.

Deixe um comentário