Repórter é agredida ao cobrir rebelião em presídio mineiro

A repórter Larissa Carvalho, da TV Globo, foi agredida na madrugada desta terça-feira (17), quando fazia a cobertura do motim no Presídio Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. No momento, estava sendo transmitido, ao vivo, um boletim de informações na Globo News. 

Foi quando a repórter falava da superlotação da unidade, que começou a gritaria entre os familiares dos presos. Em seguida, uma mulher se aproxima e empurra Larissa, que cai no chão (veja o vídeo abaixo). Um policial aparece e domina a agressora. Ela é mãe de um detento, segundo a Polícia Civil.

A transmissão foi interrompida no momento e oito minutos depois da agressão, a polícia isolou a área e a repórter pôde completar a transmissão de informações aos telespectadores. Larissa Carvalho sofreu ferimento leve no braço direito. Ao voltar, ela afirmou que “alguns parentes não concordaram com a informação, que a Polícia Militar volta a reafirmar, que não há feridos lá dentro e que não há nenhum preso que tenha fugido”.

A mulher que praticou a agressão foi detida e, após ser ouvida, foi liberada. Uma ocorrência policial foi registrada na delegacia de plantão de Ribeirão das Neves.

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) considerou intolerável a agressão à repórter de televisão e destacou que a profissional foi empurrada e jogada no chão por uma mulher, parente de um dos presos, enquanto fazia uma entrada ao vivo. “Atos de intolerância como este demonstram a total falta de conhecimento do verdadeiro papel da imprensa, cujo único objetivo é o de informar a população sobre assuntos relevantes que impactam o seu dia a dia. O acesso à informação é um direito garantido e não pode ser violado”, diz o comunicado.

 

 

Fonte:

Deixe um comentário