Registros de médicos cubanos começam a ser liberados

Dos 34 profissionais que atuarão no Distrito Federal pelo programa “Mais Médicos”, 27 receberam os registros junto ao Ministério da Saúde e poderão iniciar o atendimento à população a partir de hoje (12). Outros sete médicos ainda aguardam a liberação, que deverá sair nos próximos dias, para começar a exercer a medicina no Brasil.

“Desde a última semana o Diário Oficial da União vem publicando o nome dos médicos que já estão com o registro. Vamos avisar às regionais e amanhã já teremos médicos cubanos atendendo”, assegurou a subsecretária de Atenção Primária, Rosalina Sudo.

De acordo com a Secretaria de Saúde, o DF recebeu 50 médicos do programa, sendo 16 brasileiros e 34 cubanos. Esses profissionais, que integrarão algumas das 230 equipes de Saúde da Família, serão responsáveis por acompanhar, de perto, 120 mil pessoas assistidas por esse modelo, que é a porta de entrada para os serviços médicos integrados da rede pública.

Uma das pessoas que serão beneficiadas com a chegada desses novos profissionais é a moradora de Ceilândia Márcia Pereira, 32 anos, que realiza acompanhamento médico no Centro de Saúde 08, uma das muitas unidades do DF que receberam médicos cubanos.

Ao levar os dois filhos hoje ao Centro de Saúde, Márcia se surpreendeu ao ver o profissional cubano ao lado de uma médica efetiva da Secretaria de Saúde, ocasião em que ele apenas observava os atendimentos para se ambientar às normas, procedimentos e ao jeito do povo brasileiro.

“O atendimento aqui no centro de saúde é excelente, o paciente é sempre bem tratado e acredito que os médicos cubanos vão ajudar a melhorar ainda mais a qualidade”, disse Márcia.

O médico cubano que assistiu à consulta da moradora foi o generalista Vladmir Romero Alvarez, 34 anos. Segundo ele, a linguagem da medicina é universal e existem apenas algumas particularidades que variam a depender da região, estado ou país.

Nos cálculos do profissional, uma semana será suficiente para aprender todos os trâmites administrativos da Secretaria de Saúde, como a emissão de atestados e laudos. Ele garantiu que está pronto para exercer a medicina no DF e que, quando receber o registro, quer “ajudar a melhorar a saúde dos brasileiros”.

“Os atendimentos são bem parecidos e não teremos tanta dificuldade para receber a população e fazer o acompanhamento de saúde. Quero sempre ajudar, compartilhar e também aprender com os brasileiros”, destacou Alvarez.

Para a médica efetiva da Secretaria de Saúde que foi acompanhada pelo profissional cubano, Ana Paula Elias Fernandes, o reforço de pessoal é bem-vindo e proporcionará uma cobertura mais abrangente da população, o que contribuirá para indicadores mais positivos.

“Acho importante a chegada desses médicos. Com certeza ajudarão muito”, destacou Ana Paula.

No DF os médicos cubanos integrarão equipes que atuarão em centros de saúde, postos de saúde urbanos e rurais, casas alugadas pelo GDF e espaços cedidos por associações de moradores.

Esse formato de atendimento é uma forma estratégica idealizada para estar próximo às comunidades que precisam de acesso facilitados aos serviços públicos de saúde.

Fonte:

Deixe um comentário