Registros de crimes de estupro caem no DF

62,6% dos casos ocorrem na residência da vítima ou do autor

As ocorrências de estupro no DF reduziram 12% em maio, comparadas com o mesmo período do ano anterior, segundo levantamento divulgado hoje pela Secretaria de Segurança.

“O levantamento mostra que o trabalho conjunto das forças de Segurança tem feito com que esse tipo de crime apresente redução nos locais públicos”, analisou o secretário de Segurança, Sandro Avelar.

O documento mostra, ainda, que 62,6% dos casos ocorreram na residência da vítima ou do autor do delito, e 13,1% em locais públicos.

O secretário alerta que para a ação da polícia ser efetiva, a vítima precisa denunciar, “o que nem sempre ocorre”.

Apenas em 20,7% dos casos a ocorrência policial foi feita no mesmo dia do fato, e em 14,9% dos registros feitos o crime se deu há mais de um ano, o que dificulta a ação policial.

Ceilândia, Taguatinga, Recanto das Emas, Santa Maria e Sobradinho foram as cidades com maior incidência do crime, 52,9% dos casos – e o sábado foi o dia da semana em que houve o maior número de ocorrências.

“No acumulado do ano, até maio, foram registrados 390 casos de estupro em todo o DF e no mesmo período do ano passado foram registrados 408 casos, o que mostra uma redução de 4,4%”, completou o secretário.

VÍTIMAS – A divisão feita por faixa etária revelou que 81,8% das vítimas têm até 17 anos de idade e a faixa dos 9 aos 13 anos engloba 37,4% dos casos.

A análise do perfil das vítimas permite que sejam elaboradas estratégias de combate e alerta de pais e responsáveis.

Desde 2009 todo ato libidinoso passou a ser configurado como estupro. Portanto, o estudo mostra que em 32,3% houve, de fato, conjunção carnal.

Fonte:

Deixe um comentário