Refúgio para idosos precisa de cuidados especiais

Em 2019, a Secretaria Nacional da Receita Federal foi surpreendida por número recorde de declarações de Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF), entregues por quase 31 milhões de contribuintes. Este ano, boa parte dos 32 milhões de contribuintes está desorientada e atordoada em meio à crise provocada pelo novo coronavírus.

O Governo do Distrito Federal lançou o programa Sua Vida Vale Muito, com o objetivo de alocar, temporariamente, em hotéis parceiros, idosos que vivem em condições inadequadas para o isolamento social. É a parcela da população sob maior risco e necessita de atenção especial.

Ao reunir essas pessoas nesses abrigos temporários, o GDF está assumindo uma grande responsabilidade. O elevado número de casos fatais ocorridos entre pacientes do hospital de idosos Sancta Maggionre, em São Paulo, demonstra que muito cuidado será necessário nos estabelecimentos que forem ocupados por essas pessoas.

Segundo dados da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), são mais de 303 mil as pessoas com mais de 60 anos no DF. Mais de 67% deles têm renda média correspondente a R$ 1.295 e mais de 14 mil vivem em residências inadequadas para isolamento social.

Segundo divulgado à imprensa pelo Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes (Sindhobar) no início do ano passado, a capital federal tem 16 mil quartos de hotel, com capacidade de abrigar até 24 mil pessoas.

Alocados nos hotéis, esses idosos precisarão ser assistidos em suas necessidades e orientados – não é uma colônia de férias. As barreiras externas não são as únicas necessárias. O contato social deverá continuar sendo restringido internamente.

Eles deverão receber cuidados de saúde, apoio psicológico e afetivo e orientação. Terão de adequar seus modos de vida a uma rotina diferente em um local estranho, muito diferente da sua realidade quotidiana, e longe dos seus entes queridos e amigos.

Deixe um comentário