Quadrilha lucrava até 300 mil com Habite-se e alvarás falsificados no DF

Grupo atuava nas administrações regionais de Riacho Fundo I e Samambaia. Foto: Reprodução

A Polícia Civil do DF deflagrou nesta terça-feira (4) a Operação Habite-se para combater uma organização criminosa composta por servidores públicos e despachantes atuantes nas Administrações de Samambaia e Riacho Fundo I. A suspeita é que a quadrilha falsificava documentos para a concessão de cartas de habite-se, alvarás e outros documentos emitidos pelas administrações.

Dois despachantes e um servidor da Administração do Riacho Fundo I foram presos em cumprimento a mandados de prisão temporária. Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão nas residências dos envolvidos e quatro de conduções coercitivas de suspeitos, dentre elas de um fiscal da Agência de Fiscalização (Agefis).

A Polícia Civil investigou a fraude por mais de um ano. Segundo a Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública (Decap), o grupo chegava a faturar R$ 300 mil por mês com a fraude, já que cobravam entre R$ 5 mil e R$ 25 mil por serviço. A suspeita é que 30 pessoas façam parte da organização criminosa.

De acordo com o delegado-chefe da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública (Decap), Jonas Bessa de Paula, a operação é resultado de investigações que apontaram a falsificação de documentos públicos para a concessão de carta de habite-se, alvarás, dentre outros documentos pelas administrações de Samambaia e Riacho Fundo I. Foram apreendidos documentos diversos e computadores.}

Deixe um comentário