PT lamenta morte de Marcelo Déda

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, lamentou ontem (2) a morte do governador de Sergipe, Marcelo Déda. Em nota, o parlamentar disse que o PT “lamenta profundamente” a morte do governador sergipano, “exemplo de político e homem público”. Também por meio de nota, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), lembrou a morte “precoce” de Déda.

Segundo Rui Falcão, Déda deixa “uma herança de competência e honestidade para o povo de Sergipe, estado que o elegeu duas vezes governador”. O presidente petista acrescentou que o ex-prefeito de Aracaju e governador de Sergipe por dois mandatos “nunca se furtou à luta e, desde muito jovem, se destacou por enfrentar as oligarquias conservadoras de seu estado e do Brasil”.

Renan Calheiros disse que Congresso Nacional lamenta a morte do governaor de Sergipe. “Déda foi um grande quadro do PT e um expoente da política nacional, tendo atuado bravamente na discussão dos grandes temas de Sergipe e do Brasil. Homem culto e de personalidade admirável, era dono de um carisma e de uma eloquência cativantes e de uma força notável”, diz trecho da nota.

A bancada do PT na Câmara também divulgou nota em que lamenta morte prematura do colega de partido. “Déda era um ser humano ímpar, alegre, bem-humorado, amante da boa música e com uma capacidade enorme para a atividade política e a defesa do interesse público. Homem público exemplar, o PT perde um militante ativo e sempre presente nas atividades partidárias”, diz trecho da nota da bancada petista.

Para o governador da Bahia, Jaques Wagner, a morte de Marcelo Déda “deixa uma lacuna muito grande para a política de Sergipe e do Brasil”. Em nota de pesar, o governador baiano diz que o petista foi um “deputado brilhante, prefeito e governador extremamente culto, bem preparado, de uma bela oratória, que ainda tinha na sua juventude muito a contribuir para o povo brasileiro e para o povo sergipano”.

Deixe um comentário