Procuradoria do DF quer despejar ACIT

Entre Benedito Domingos e o administrador Geraldo Araújo, o presidente da ACIT, Justo Magalhães, se emociona ao pedir ajuda para manter a sede da entidade.
Foto: Orlando Pontes/BSB Capital

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Taguatinga (ACIT), Justo Magalhães, revelou nesta sexta-feira (23) que a Procuradoria Geral do Distrito Federal move uma ação para retomar a área onde está a sede da entidade. A informação foi dada durante almoço de saudação ao novo administrador da cidade, Geraldo César Araújo, o Geraldinho da Globo Esporte, que assumiu o cargo na última semana,

Segundo o presidente da ACIT, a notificação da Procuradoria foi entregue em novembro do ano passado à então administradora regional, Karolyne Guimarães. Desde então, ele tem procurado autoridades do GDF para reverter a decisão. “Nós sabemos quais interesses estão por trás disso”, discursou Justo Magalhães diante de cerca de cem convidados.

A notícia pegou todos de surpresa e suscitou discursos em defesa da manutenção do espaço. Sentado ao lado do ex-vice-governador Benedito Domingos, um dos fundadores da ACIT, Justo Magalhães se emocionou. “O senhor ajudou a criar esta entidade que tanto já fez por Taguatinga. Não permitirei que ela morra justamente em minhas mãos”, disse.

Cerca de 100 convidados prestigiaram o almoço em homenagem ao novo administrador de Taguatinga, Geraldo Araújo.
Foto: Orlando Pontes/BSB Capital

Magalhães tem trabalhado nos últimos anos para construir no terreno da ACIT um pavilhão de exposições de 4.000m² onde, segundo ele, funcionará o Centro de Convenções de Taguatinga. A ideia é que eventos como festas de formatura e grandes bailes comemorativos, tanto da população de Taguatinga como das demais cidades do lado oeste do Distrito Federal possam ser realizados ali.

“Aqui, além de feiras do comércio, industria e serviços, teremos shows culturais, artísticos etc. Ou a população das cidades satélites não merece isso, será que somos cidadãos de segunda classe?”, questiona Justo Magalhães.

Até os anos 1990, a Feira do Comércio e Indústria de Taguatinga (Facita), que acontecia anualmente nos meses de junho em comemoração ao aniversário da cidade, era um dos eventos mais tradicionais do Distrito Federal. Shows com artistas nacionais e internacionais levavam multidões e superlotavam a área de 88.000m² no setor QI (Quadras Industriais), hoje, em grande parte, transformado em prédios residenciais.

Deixe um comentário