Preso em Oruro, torcedor revela drama: ‘Espero acordar desse pesadelo’

Em visita à Bolívia, o deputado Walter Feldman (PSDB) e integrante da CPI do Trabalho Escravo, conversou com os 12 torcedores corintianos presos em Oruro após a morte do jovem Kevin Espada, de 14 anos, torcedor do San José (BOL).

Neste domingo, a assessoria de imprensa do político enviou um áudio da entrevista que Feldman realizou com Thiago, um dos detentos.

Preso desde o último dia 21, logo depois do empate em 1 a 1 entre San José e Corinthians, pela Copa Libertadores, o torcedor, que é membro de uma torcida organizada do Timão, reclamou do tratamento recebido dentro da prisão e enfatizou a inocência dos corintianos detidos em Oruro.

Enquanto isso, no Brasil, H.M.A, menor que assumiu ser o autor do disparo do sinalizador que matou Kevin, ainda espera a decisão do Judiciário sobre o caso.

Confira abaixo a entrevista de Thiago:
“Fomos instruídos a ficar com nossos pertences pessois (carteira, dinheiro, celular, etc). Não fomos revistados.Seis (torcedores) ficaram quatro dias dentro de um calabouço. Além dessa situação desumana, não podemos falar com os nossos familiares que estão no Brasil. Os bolivianos têm derrubado as nossas ligações.

Já fomos roubados: blusas, pen-drive, e nada foi feito. Pelo contrário, a polícia induziu que estávamos blefando. Tivemos caso de necessidades médicas, mas para utilizarmos desse serviço, precisamos pagar por isso. Presenciamos diariamente bolivianos com facas, estiletes ou coisas parecidas. Ou passamos nossos alimentos para eles, ou isso aqui pode virar uma guerra.

Nós somos os mais prejudicados com tudo isso. Tememos por nossas próprias vidas.

O que nos deixa mais idignados é sabermos que somos todos inocentes. Temos provas contundentes que foi um acidente e nenhum dos doze que estão aqui tiveram participação ou cumplicidade nesse fato. Agora, cabe à Justiça Boliviana mostrar quem é o culpado. Mas somos nós que devemos mostrar todas as provas?

Somos cidadãos brasileiros, pagamos impostos corretamente, como qualquer um. No mínimo, o Governo Brasileiro deveria ajudar a mostrar os vídeos para os bolivianos e, assim, provar que aqui (Bolívia) estão 12 homens inocentes. Espero acordar desse pesadelo”

Fonte: Esporte Interativo

Deixe um comentário