Prêmio estimula estudos de mercado e economia florestal

Inscrições abertas para estudantes e profissionais de qualquer área. Iniciativa irá distribuir R$ 28 mil entre os vencedores

Profissionais e estudantes de todo o país que desejam concorrer ao I Prêmio em Estudos de Mercado e Economia Florestal devem ficar atentos ao prazo final para envio de trabalhos. As inscrições encerram-se daqui a um mês, no dia 17 de janeiro de 2014.

Ao todo, serão distribuídos R$ 28 mil entre os vencedores. Na categoria profissionais, os três primeiros lugares receberão, respectivamente, R$ 10 mil, R$ 7 mil e R$ 4,5 mil. Já entre os graduandos, os valores serão de R$ 3 mil, R$ 2 mil e R$ 1,5 mil.

Podem participar candidatos de qualquer área de formação, desde que apresentem uma monografia dentro da temática do Prêmio. Os trabalhos podem abordar assuntos como PIB Verde, concessões florestais, sistema tributário, tendências para o setor de florestas plantadas e quadro atual do setor de florestas nativas, entre outros descritos no edital.

As monografias deverão apresentar, preferencialmente, enfoque atual com aplicabilidade ao Serviço Florestal Brasileiro (SFB), que promove essa iniciativa. Isso porque o Prêmio visa estimular estudos para compreender a produção sustentável no Brasil, seus desafios e perspectivas e, assim, criar um portfólio que contribua para o avanço da capacidade do SFB. “É uma importante iniciativa do Serviço Florestal Brasileiro, que pretende trazer para o debate temas relevantes para a expansão da economia florestal brasileira”, afirma o gerente-executivo de Planejamento Florestal do SFB, André Andrade.

Regras

O Prêmio é restrito a trabalhos inéditos, que não tenham sido publicados pela imprensa, revistas especializadas ou em livro. São considerados inéditos os textos inseridos em documentos de circulação restrita de universidades, congressos, encontros e centros de pesquisa, como notas e textos para discussão e similares.

O candidato deve enviar uma cópia impressa e em CD-ROM do trabalho e de seu resumo, além de ficha de inscrição preenchida, declaração de que a monografia não caracteriza plágio ou autoplágio, cópia do documento de identidade do autor e de cada integrante do grupo para trabalhos feitos coletivamente, além de outros documentos solicitados no regulamento.

As monografias serão avaliadas por uma comissão julgadora com seis membros de notório saber a serem designados pela Escola de Administração Fazendária (Esaf), organizadora do Prêmio. O resultado será publicado no Diário Oficial da União e os vencedores participarão de uma cerimônia em Brasília (DF).

Fonte:

Deixe um comentário