Pobre País, Pobre Povo

 

 

Foto: Reprodução

 

J. B. Pontes

De fato, estou ciente, que de nada adiantam os argumentos sensatos, que analisam a situação crítica que vive o nosso País. A insensatez e o ódio (que não encontro explicação ou justificativa) continuarão a prevalecer… Pobre País, que não enxerga o que realmente é preocupante e que está a caminho de uma divisão social quase irreversível, com graves riscos.

Enquanto isso, as nossas riquezas naturais (a exemplo dos ricos minérios da Serra dos Carajás e da Serra Leste), as maiores e mais ricas reservas minerais do Planeta e, talvez as últimas, são exportados para outros países, in natura (ou seja, sem nenhum processamento) como se minérios de ferro fossem… Quer dizer, “a preço de bananas”, roubadas, pois na realidade, contêm ouro, prata e outros minerais valiosos. E é lá, no exterior, que vão gerar emprego, renda e alimentar uma cadeia industrial. E tudo isso ocorre sob a complacência, ou melhor, a conivência, de nossas autoridades. Será que me faço entender?

E essas riquezas, se tivéssemos uma classe política comprometida com os interesses do País e do nosso povo, poderiam ser a base de nosso desenvolvimento econômico e social, ao desencadear uma série de atividades geradoras de emprego, renda e desenvolvimento industrial – beneficiamento, indústrias etc.

Nenhum outro país do mundo perderia essa oportunidade que a natureza (Deus?) nos deu… Repito: pobre País e pobre povo!

Somos simples joguetes dos interesses internacionais, sem noção de nacionalidade e sem um projeto de Nação. Chego quase a chorar quando reflito essa realidade do nosso País e sobre a inconsciência do nosso povo, que se reflete na inconsciência da nossa classe política.

Já perceberam que nós não temos uma única fábrica de veículos nacional relevante? Os milhões de veículos que trafegam pelas nossas vias e rodovias são todos de marcas de outros países, a maioria apenas montados no Brasil. Pagamos caro pela importação de peças e componentes para esses veículos…

E a Coreia do Sul, um pequeno país da Ásia, desprovido de matérias primas, a exemplo do Japão, tem 4 (quatro) marcas de fabricantes de carros conhecidas mundialmente e que estão, cada vez mais, conquistando mercados, especialmente no Brasil: Hyundai, Kia, Daewoo e Ssangyong. Sem falar no Japão, que tem uns 10 fabricantes de veículos.

Essa realidade é de envergonhar qualquer brasileiro que tenha um mínimo de consciência… O que se comemora mesmo com tanto foguetório?

 

Deixe um comentário