Plante, e confie na colheita!

Atanagildo, autor do excelente livro “Semeando e colhendo”, investigou, e conta, em sua obra, as razões dos sofrimentos que presenciou enquanto esteve entre nós. Em nenhum deles detectou injustiça ou abandono de Deus a seus filhos. Como gosta de repetir Paiva Neto, presidente da Legião Brasileira da Boa Vontade (LBV), “não há injustiça em nenhum lugar do Universo”, embora haja injustiça aparente quando se olha apenas para esta vida.


Vivemos dentro de um projeto e num processo no qual a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. O bem volta para que o fortaleçamos em nós o mal, para que nos libertemos pela educação.Com os ensinamentos e exemplos dos bons, acordamos para o bem.


Com o mal, aprendemos a evitá-lo e a superá-lo. Tudo é uma questão de encantamento. Com o que nos encantemos, colheremos as consequências de felicidade ou infelicidade. O Mestre Osho, no livro “Saúde emocional”, analisa a questão da plantação e da colheita:
“O homem mais rico do mundo, num certo sentido, é o mais pobre também. Ele tem tudo, materialmente falando, mas é absolutamente pobre, oco e vazio.


“Existem pessoas pobres que você acha que são imensamente ricas. Não são ricas em coisas, mas em seu ser. A primeira coisa na vida deve ser descobrir o significado do momento presente.


“O aroma básico do seu ser deve ser amor, alegria, celebração. Então você pode fazer qualquer coisa e o dinheiro não destruirá você, Mas, se em vez disso você coloca tudo de lado para correr atrás de dinheiro, achando que o dinheiro compra tudo, um dia descobre que o dinheiro não pode comprar o mais importante, que é a sua felicidade.


“Você acrescentou coisas à sua vida. Agora, acrescente algo ao seu ser. É nisso que consiste toda a tragédia da vida humana: você está dormindo e o mundo externo está lhe dominando.


“A cabeça é um belo mecanismo. Use-a, mas não seja usado por ela. Quando o raciocínio serve aos sentimentos, tudo fica equilibrado. Seja você mesmo. Ame. Ame-se. A existência aceita você – é por isso que você está aqui. Do contrário, não estaria.


“Você está de pernas para o ar, mas você não é um pecador – basta uma leve arrumadinha e se tornará um belo fenômeno”.

Deixe um comentário