Plano GDF Saúde já recebe adesões

Desde o dia 3 deste mês, os servidores da Secretaria de Saúde podem aderir ao plano GDF Saúde. A partir de 1º de dezembro, o benefício estará disponível para os funcionários da Secretaria de Educação, e de 4 de janeiro de 2021 em diante, para o pessoal dos demais órgãos e convênios. A adesão não será compulsória. Cabe ao servidor decidir se quer ou não o benefício. No caso de comissionados, o plano terá validade até três meses após a exoneração do cargo.

O GDF Saúde foi instituído no Dia do Servidor (28 de outubro) pelo governador Ibaneis Rocha (MDB). O plano abrangerá todo o DF e funcionará na modalidade de atendimento ambulatorial e hospitalar com obstetrícia. Será cobrada uma taxa mensal de 4% sobre a remuneração bruta dos usuários e 1% por dependente – filhos de até 21 anos, filhos universitários de até 24, filhos inválidos e cônjuges.

Os interessados poderão aderir por meio do site do Instituto de Assistência à Saúde do Servidor do DF (Inas-DF). O processo será conduzido de por meio eletrônico até a assinatura do contrato de prestação de serviços. O atendimento efetivo será a partir de 1° de dezembro.

Benefícios — Além dos benefícios ligados à saúde, o plano conta com um clube de descontos em que empresas credenciadas oferecerão condições especiais na compra de produtos e serviços, além da redução de preços em matrículas e mensalidades de faculdades e universidades privadas do DF.

O benefício poderá ser estendido aos parentes dos servidores. Os ativos e aposentados terão abatimento de pelo menos 10% em várias áreas. Bastará apresentar, no ato da compra, o documento de identidade ou funcional com foto e o contracheque.

A gestão do Clube de Desconto será Secretaria de Economia, encarregada do credenciamento das empresas interessadas, além de manter um portal atualizado com os participantes e os abatimentos oferecidos. O programa contará com aplicativo próprio e terá como agente financeiro o Banco de Brasília (BRB).

Coparticipação – Os servidores que aderirem ao GDF Saúde terão de pagar coparticipação de 30% sobre os procedimentos ambulatoriais e 5% sobre os hospitalares. Tudo descontado em folha. O GDF fará um repasse de 1,5%, calculado sobre o valor mensal total da folha de pagamento dos servidores.

Poderão participar funcionários ativos, aposentados, pensionista, ocupantes de cargos comissionados e contratados temporariamente. Os únicos servidores que não poderão ser beneficiados são os de pensão vinculados ao Departamento de Estradas e Rodagem (DER).

Carências – O BRB também fará a implementação de ambiente tecnológico para as adesões e o credenciamento da rede prestadora de serviços médico/hospitalares. O plano funcionará sob regime de autogestão e será administrado pelo próprio Instituto de Assistência à Saúde do Servidor do DF (Inas-DF).

A expectativa do GDF é de que 500 mil pessoas sejam beneficiadas: 170 mil servidores e 330 mil dependentes. A adesão será feita em etapas e, após o cadastro, a carência será 24 horas para situações emergenciais, 60 dias para consultas, três meses para exames complementares. O prazo para partos é de 300 dias; para os demais casos, 180.

Ficam isentos do cumprimento de prazos de carência os servidores ou empregados ocupantes de cargos e seus dependentes, se a adesão ao plano ocorrer no prazo de 30 dias contados do início do efetivo exercício.

Segundo o regulamento do DF Saúde, não será exigida qualquer carência se a inscrição do beneficiário ocorrer dentro de 30 dias da data de início da vigência do contrato ou convênio. O Inas já assinou o credenciamento na rede Santa Lúcia, que manterá atendimento nas unidades das Asas Sul e Norte e no Gama.

O Instituto ainda trabalha para ampliar a rede credenciada. Entre elas, uma rede de oito hospitais especializados, quatro laboratórios e mais 150 clínicas de saúde nos mais diversos segmentos.

Deixe um comentário