Petrobras anuncia venda de complexo químico-têxtil no Grande Recife por R$ 1,26 bilhão

A Petrobras anunciou a venda da Companhia Petroquímica de Pernambuco (PetroquímicaSuape) e a Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe), que integram o complexo industrial químico-têxtil localizado no Porto de Suape, em Ipojuca, na Região Metropolitana do Recife. As empresas passarão a pertencer à mexicana Alpek, que pagará o valor de US$ 385 milhões pela transação, o equivalente a aproximadamente R$ 1,26 bilhão.

A assinatura do contrato para venda das companhias foi aprovada em reunião do Conselho de Administração da Petrobras realizada na quarta-feira (28). Subsidiárias integrais da estatal, a PetroquímicaSuape e a Citepe reúnem três unidades industriais integradas: a de PTA (ácido tereftálico purificado), a de filamentos de poliéster e a de resina PET (polietileno tereftalato).

A PetroquímicaSuape tem capacidade de produção de 1,15 milhão de toneladas de material plástico por ano e a fábrica da Citepe pode produzir, por ano, 90 mil toneladas de filamento de poliéster.

Sobre o grupo que comprou as companhias, a Petrobras informou, em um texto publicado em seu site, que a Alpek é “uma empresa mexicana do Alfa, de capital aberto, que atua no setor petroquímico e que ocupa uma posição de liderança na produção de poliéster (PTA, PET e filamentos) no mundo”.

Ainda de acordo com a estatal, a venda está alinhada ao Plano Estratégico da Petrobras, que objetiva otimizar o portfólio de negócios através da saída integral das participações em petroquímica. A operação faz parte do programa de parcerias e desinvestimentos e será contabilizada para a meta do biênio 2015-2016.

Apesar da confirmação dessa venda, a Petrobras não conseguiu alcançar a meta de US$ 15,1 bilhões estabelecida pelo programa de parcerias e desinvestimentos para o biênio 2015-2016. No período citado, o programa totalizou US$ 13,6 bilhões. “A meta do programa de parcerias e desinvestimentos para o biênio 2017-2018 será automaticamente acrescida desses valores, totalizando agora US$ 21 bilhões”, finaliza o texto publicado no site da estatal.

Nota da Alpek
Por meio de nota, a empresa mexicana Alpek confirmou que o contrato de compra das duas companhias foi firmado com a Petrobras e informou que o valor da transação será pago em reais na data do fechamento da operação. Também ressaltou que o valor anunciado está sujeito a ajustes de capital de giro e dívida líquida.

“O fechamento da transação requere aprovações corporativas adicionais e está sujeito a várias condições precedentes, incluindo a aprovação das autoridades governamentais competentes”, destaca, ainda, o texto.