Pelaí 130

Agnelo tenta emparedar Arruda

 

O governador Agnelo Queiroz joga com a ameaça de reprovar as contas do governo de 2008 para emparedar José Roberto Arruda. A estratégia ficou clara após a bancada governista votar a favor da aprovação das contas do GDF de 2009 e 2011, deixando as de 2008 para uma próxima ocasião.

 

Ameaça à reeleição

 

Desde que o ex-governador assinou a ficha de filiação ao PR, deixando clara a intenção de concorrer às eleições do próximo ano, a preocupação do atual titular do Palácio do Buriti é afastá-lo da disputa majoritária. Afinal, Arruda aparece à sua frente em todas as pesquisas de opinião, mesmo tendo sofrido o desgaste da prisão e cassação em 2010.

 

Aliança com Roriz assusta

 

Tudo que o petista não quer é ver os dois maiores caciques oposicionistas no mesmo palanque. Por isso, a luz amarela acendeu entre os aliados de Agnelo após o presidente regional do PR, Antônio Gomes, declarar que Arruda e Joaquim Roriz podem estar no mesmo palanque em 2014.

 

Candidatura proporcional, pode

 

Emissários do PT estão encarregados de fazer chegar a Arruda, nos próximos dias, a informação de que ele não terá problemas caso concorde em disputar uma vaga proporcional, podendo optar entre deputado federal ou distrital. Resta saber qual será a reação do ex-governador.

 

Com as barbas de molho

 

A cassação do mandato do deputado Raad Massouh (PPL) na quarta-feira (30) deixou vários outros distritais com as barbas de molho. Raad foi afastado por uma denúncia de desvio de R$ 47 mil de uma de suas emendas parlamentares para um evento rural em Sobradinho, sua base eleitoral.

Decap, o terror

 

Já seus colegas temem as investigações da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública (Decap) contra possíveis pagamentos de propinas aos deputados por emendas para pequenas obras, executadas por meio de cartas-convite, nas administrações regionais. O titular da Especializada, Vicente Paranahiba Costa Neto, informou ao diretor-geral da Polícia Civil, Jorge Xavier, que podem ser mais de 15 deputados envolvidos. E duas dúzias de administradores regionais. Será que essa operação prospera?

 

Seqüestro de informação

 

O coordenador-geral do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do DF, Vanderlei Pozzembom, considerou “sequestro de informação” a denúncia feita na terça-feira (29) pelo proprietário do Jornal Satélite, de Taguatinga, Wilon Wander Lopes, de que pacotes de exemplares de seu jornal e do Brasília Capital estavam escondidos numa sala da Administração Regional de Taguatinga. Durante os debates da LUOS (leia matéria na página 4 e Informe ACIT, na página 10), Lopes foi alertado para o fato por um funcionário da Administração e denunciou o fato a uma plateia de 300 pessoas e seis deputados distritais. ‘Sem dúvida, esta é uma forma de censura, pois a apreensão dos jornais impede que a sociedade seja informada de fatos apurados jornalisticamente e que são de interesse da população”, reagiu Pozzembom. E completa: “A Administração está ali representando o governo junto à comunidade, e precisa dialogar com a sociedade, ao contrário do que fez, por exemplo, em 2012, ao tentar proibir uma passeata gay”.

P…a é essa?

 

Confesso que realmente não sei que diabo de jornalismo é esse praticado em algumas redações.

Dia desses, um jornal estampou: “Sabrina Sato foi vista entrando num salão de beleza em Copacabana”.  “A atriz (que não lembro o nome) viaja pra Londres com os filhos para visitar a avo”.

É o tal do jornalismo inútil que a cada dia ganha espaço nas redações.

 

Deixe um comentário