Para entender Cristo – I

Qual é o objetivo da vida? Buscar sua face original, aquela que você tinha antes de nascer. Os Mestres Zen ensinam que, para um buscador da verdade, a primeira atitude deve ser a de conhecer seu rosto original, quer dizer, tirar a máscara, ser humilde, verdadeiro. Não se pode ir para Deus com o verniz e a conveniência deste mundo.

Jesus, não detalha seus ensinamentos. Este é o trabalho dos seguidores: dividi-los em etapas. Tentar vivê-los sem gradação levará ao desânimo, porque precisamos nos acostumar paulatinamente com a luz intensa que é seu Evangelho (boas notícias).

Quando Jesus fala de amor, precisamos dividi-lo em: interesse por si, pelo outro, respeito, conhecimento do outro, compreensão. Só então chegaremos ao amor, mas para isso precisamos conhecer o significado dos símbolos usados por ele.

Água, símbolo da mente, do Evangelho que liberta. No diálogo com a samaritana: “Se você beber da água que eu lhe der (Evangelho), nunca mais terá sede”. Templo: mente, a morada de Deus no homem, e vendilhões do templo, símbolo dos maus pensamentos. Desta maneira, é preciso atitude forte para expulsá-los, mudá-los, simbolizado na expulsão dos comerciantes e animais da igreja, com base no chicote.

 

Deixe um comentário