Oscar fala em dar toco em Barack Obama no Jogo das Celebridades da NBA

Oscar fez quase 50 mil pontos na carreira e é o recordista mundial. Foto: divulgação

Um dos maiores nomes do esporte brasileiro, Oscar Schmidt jogará basquete em uma quadra da NBA 14 anos depois de sua aposentadoria. O ex-jogador foi convidado pela maior liga do mundo para disputar o Jogo das Celebridades no All-Star Weekend, no dia 17 de fevereiro, em Nova Orleans, Estados Unidos.

Em 1984, o “Mão Santa” foi selecionado pelo New Jersey Nets (atual Brooklyn Nets) na sexta rodada do draft, mas preferiu não aceitar a proposta para continuar defendendo a Seleção Brasileira. Na época, por uma questão de regulamento, jogadores que se tornassem profissionais perderiam o direito de atuar por seus países.

Recordista mundial de pontos (49.737), Oscar não abre mão de fazer bonito em sua “estreia” na NBA. “Quero ser o MVP do jogo. Se eu estou treinando, quero ser o melhor. Não vou lá só para participar”, bradou o ex-ala, em entrevista à Gazeta Esportiva, nesta terça-feira.

Com 58 anos, Oscar quer aproveitar a oportunidade para se encontrar com os também ex-jogadores Kobe Bryant e Larry Bird, lendas do basquete mundial e amigos do brasileiro.

“O Larry é meu ídolo, me apresentou no Hall da Fama (2013), tenho um respeito enorme por ele”, disse, referindo-se ao mítico ídolo do Boston Celtics, pelo qual foi tricampeão da NBA (1981, 1984 e 1986).

No entanto, a expectativa maior é de jogar ao lado de Barack Obama. Fã de basquete e torcedor do Chicago Bulls, o ex-presidente dos Estados Unidos tem sido especulado no Jogo das Celebridades. Há um movimento entre fãs e personalidades, como Justin Bieber e Kevin Hart, pedindo a presença de Obama no evento.

“Espero que o Obama jogue. Se ele jogar, tomara que seja no meu time, senão vou ter que dar um toco nele (risos)”, brincou o ex-atleta.

Famoso também por sua pontaria certeira na linha dos três pontos, Oscar admite não estar preparado para arremessar no evento, já que a distância para o arco em uma quadra da NBA é maior do que a estabelecida pela Fiba (Federação Internacional de Basquete). Mesmo assim, o brasileiro promete arriscar.

“Não estou pronto para chutar de três lá. Nunca treinei naquela distância (7,05m) e não vai ser agora que vou treinar. Alguma eu vou tentar. Se cair, vou chutar a segunda, mas se não cair, não vou tentar outra”, concluiu o Mão Santa.

Fonte:

Deixe um comentário