Os diversos tipos de adoçantes

Os adoçantes são, de forma geral, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa – produtos formulados para conferir sabor doce a alimentos e bebidas, sendo a sacarose (açúcar comum de mesa) o principal exemplo.

Os adoçantes dietéticos também conferem doçura, mas sem possuir sacarose na composição, uma vez que são elaborados para atender às necessidades de pessoas com restrição a carboidratos simples, como é o caso de indivíduos com diabetes.

Os adoçantes dietéticos são constituídos por edulcorantes e agentes de corpo. Os edulcorantes são as substâncias químicas responsáveis pelo sabor adocicado e normalmente possuem um poder adoçante muito superior ao da sacarose. Portanto, é necessária uma quantidade menor para se obter a mesma doçura.

Os edulcorantes podem ser divididos em naturais, como é o caso do esteviosídeo, sorbitol, manitol e sucralose, e ainda em artificiais, como a sacarina, o ciclamato, o aspartame e acessulfame K.

Os mais indicados como adoçantes de mesa atualmente são os produtos a base de esteviosídeo ou sucralose. O esteviosídeo é extraído da planta Stevia rebaudiamv e pode estar presente em adoçante de mesa, gomas de mascar, balas, bebidas, gelatinas, pudins e sorvetes.

Já a sucralose é uma molécula modificada da própria sacarose, mas que não apresenta valor nutritivo. É estável em alta temperatura e, portanto, pode fazer parte de preparações destinadas à cocção, e apresenta uma grande vantagem em relação ao esteviosídeo, que é de não apresentar sabor residual.

Fonte:

Deixe um comentário