Os campeões de rejeição

Crivella deve decretar situação de emergência por coronavírus | Agência  Brasil
O recorde de rejeição (57%) é do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), candidato à reeleição. Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A primeira rodada de pesquisas Ibope para as eleições municipais de 15 de novembro mostrou que os cinco políticos com maior índice de “não voto”, nas 13 capitais onde os levantamentos foram divulgados, estão na mira do Ministério Público, são vítimas de processo de impeachment ou têm ligações com famílias envolvidas nesses casos. Os dados não levam em conta a margem de erro.

Líder – O recorde de rejeição (57%) é do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), candidato à reeleição. Em segundo lugar aparece o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), com 43% de “não voto”. Ele foi preso em dezembro de 2019 na Operação Calvário e é acusado de participar de esquema de desvio de dinheiro público na saúde.

Top 5 – Fecha o pódio o candidato do MDB à prefeitura de Belém do Pará, José Priante, com 40%. Ele é primo do governador Helder Barbalho (MDB), investigado por suspeitas de corrupção na Saúde. Depois aparecem a deputada Clarissa Garotinho (38%) e o top 5 é fechado pelo prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan (PSDB), com 37%. Ele é alvo de um processo de impeachment pelo uso de R$ 3,1 milhões do Fundo Municipal de Saúde para pagar publicidade.

Deixe um comentário