Os 7 passos para gabaritar português no TST e na CLDF

No último concurso, em 2005, estavam previstas 78 vagas de nível superior e de 42 de nível médio. Foto: Silvio Abdon/CLDF

Tanto o Tribunal Superior do Trabalho (TST) quanto a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) publicaram importantes editais nos últimos dias, revelando como o universo dos concursos públicos será agitado nos próximos meses – ao contrário do que muitos diziam. Muitos certames grandiosos serão lançados até o fim de 2018, e os candidatos mais bem preparados – principalmente os que se dedicaram com antecedência – estarão à frente nessa disputa.

Ambos os concursos serão realizados pela Fundação Carlos Chagas (FCC). Eu te garanto: em língua portuguesa, não há diferenças para a sua preparação. Quem estuda para um está automaticamente se preparando para o outro, na medida em que essa banca só costuma modificar o perfil de cobrança de português nas provas destinadas às carreiras fiscais. Sabendo disso, vou montar para você uma estratégia de estudos:

  1. Domine morfossintaxe. Quem faz uma prova da FCC precisa saber identificar sujeitos, complementos verbais e transitividade verbal. Posso afirmar a você que essa é a base que sustenta muitos outros assuntos gramaticais (como concordância, regência e emprego de pronomes oblíquos).
  2. Depois disso, não se esqueça de estudar casos especiais de concordância e de regência. Além de haver muitas questões sobre isso, a banca também explora esses assuntos em questões de reescritura e de reconhecimento de frases incorretas.
  3. Estude pontuação, e faça isso de maneira ordenada (desde a ausência de vírgula entre sujeito e verbo até os esquemas de pontuação em orações coordenadas adversativas). Não se esqueça de que o entendimento de pontuação depende de conhecimento sintático e semântico, e não de respiração.
  4. Tenha paciência para estudar verbo. A banca gosta muito desse assunto, seguindo esta ordem de prioridade: vozes verbais (nesse momento, você também estudará as funções do SE), reconhecimento dos tempos e modos verbais, emprego dos tempos e modos verbais e correlação verbal. O capítulo de verbos é o maior em qualquer gramática. Saiba o que estudar.
  5. Estude as funções do QUE. A banca gosta muito dos pronomes relativos – e da regência associada e eles.
  6. Você não pode se esquecer de decorar as conjunções subordinativas adverbiais e coordenativas. Elas são MUITO exploradas (principalmente aquelas que ninguém usa).
  7. Nem só de gramática vive o homem. É necessário treinar a análise de textos, pois, além de ser uma questão garantida, é a única parte da prova que pode ser feita “com consulta”. Treinar o estilo FCC e fundamental!

Por fim, organize o seu estudo: Divida seu tempo em quatro partes. Inicialmente, você verá mais teoria que exercícios (75% teoria e 25% exercícios). É o momento em que você está nutrindo o seu intelecto. Nessa etapa, vale a pena fazer questões tanto da FCC quanto de outras bancas (pois comparar semelhanças e diferenças entre organizadoras é uma forma de impregnar no seu cérebro o que a FCC vai querer de você). Com o passar dos dias, vá alterando a distribuição do tempo: cada vez menos teoria, cada vez mais exercícios (e você vai começar a priorizar a FCC). O ideal é chegar às vésperas da prova com 100% do tempo destinado à resolução de questões da FCC! Além disso: não se esqueça de justificar seus erros e acertos e identificar quais assuntos oferecem maior dificuldade. Também recomendo que você resolva uma questão de texto por semana (sempre FCC). Com isso, você vai gabaritar a prova de português!}

Deixe um comentário