Olho de Águia expõe “Eu Catador”

                                      Pose de uma catadora de lixo na frente de uma colega de trabalho

 

A Galeria Olho de Águia, em Taguatinga, exibe a exposição “Eu Catador”, partir desta quinta-feira (16). As fotos poderão ser vistas até 10 de março, mostrando catadores de lixo da Estrutural.  Elas representam uma das novas frentes da galeria do fotojornalista Ivaldo Cavalcante, neste ano de 2017. Neste caso, trata-se do “Projeto Artistas do Bairro”, em que a comunidade é convidada a participar.

O projeto prevê que, mensalmente, um artista será convidado a expor suas obras durante 20 dias, para visitação e comercialização. Ivaldo diz que o objetivo é contribuir para a valorização e disseminação da obra do escolhido, incentivando ainda a formação de estudantes de artes plásticas. A Galeria Olho de Águia é tradicionalmente atuante no campo da fotografia, cinema e novas mídias.

Serviço

Idealizadora e produtora: Isabela Coelho; direção de produção: Adriana Alves; curadoria: Kazuo Okubo; Assistente de curadori: Odécio Visintin Rossafa Garcia. Serviço: Exposição “Eu Catador”; data: 16 de fevereiro a 10 de março de 2017; local: Galeria Olho de Águia – Cnf 01 Ed. Praiamar – Bloco D loja 12 – Taguatinga Norte ; e horário de funcionamento: terça-feira a sábado, das 14h às 00h.

História

Texto distribuído pela Galeria Olho de Águia informa que “catadoras e catadores de resíduos são mulheres e homens que ressignificam a cadeia da reciclagem por meio do seu trabalho. São pessoas que sobrevivem à margem do sistema com as sobras da modernidade. Só no Brasil, o número de pessoas que catam, selecionam e vendem materiais recicláveis pode chegar a cerca de um milhão, segundo o Movimento Nacional dos Catadores, em estudo desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), em 2013.

“No Distrito Federal (DF), essa atividade econômica de base familiar tem se organizado na forma de associações e cooperativas de catadores. Grande parte desse grupo mora e trabalha na Região Administrativa Estrutural. São cerca de 1.500 catadoras e catadores que retiram seu sustento do maior lixão a céu aberto da América Latina, conhecido como de Aterro Controlado do Jóquei Clube, que ocupa uma área significativa da cidade”.

 

Da Redação