Obesidade infantil

Dados referentes a pesquisas realizadas no Brasil nas duas últimas décadas indicam que a prevalência da obesidade em crianças de 5 a 9 anos saltou de 4,1% para 16,6% entre os meninos e de 2,4% para 11,8% entre as meninas. Entre os adolescentes, o excesso de peso passou de 3,7% para 21,7% nas últimas quatro décadas.

Esses dados são muito preocupantes, visto que crianças e adolescentes com excesso de peso representam adultos obesos no futuro e com elevado risco para desenvolver diabetes tipo 2, hipertensão arterial e outras doenças cardiovasculares, além de câncer.

Um padrão alimentar rico em carboidratos simples e gorduras saturadas, característico de alimentos industrializados e fast-foods, associado ao sedentarismo entre esse público foram identificados como os principais fatores para o desenvolvimento da obesidade.

Muitas vezes, a premiação oferecida pelos pais por boas condutas na escola, por exemplo, na forma de alimentos calóricos, como sanduiches, sorvetes, balas e doces, parece contribuir bastante para o desenvolvimento de um padrão alimentar errado entre crianças e adolescentes.

Além disso, o vídeo game, computadores e tablets são as principais formas de lazer hoje em dia. As brincadeiras na rua, como pique-pega, queimada, pular corda, elástico, que ajudam na queima de calorias, viraram coisas do passado.

Na última segunda-feira (11), o ministro da Saúde lançou, em uma escola no DF, a semana de mobilização na escola, entre alunos do ensino médio e fundamental. E um dos temas principais é a prevenção da obesidade.

A iniciativa é integrada ao Programa Saúde na Escola. Acredita-se que a difusão de bons hábitos na escola irá refletir na família, pois a criança passará a cobrar dos pais o que aprendeu na escola.

Deixe um comentário