O time de Ibaneis

 

1 – Laerte Bessa; 2- Cel. Carlos Emilson; 3- Robson Cândido; 4- Anderson Gustavo Torres; 5- André Clemente; 6- Cel. Sheyla Soares Sampaio; 7- Weligton Moraes; 8- Izídio Santos 9- Rafael Parente; 10- Júlio César; 11- Dr. Gutemberg

 

O “técnico” Ibaneis Rocha (MDB) começou a convocação do elenco para montagem do time com o qual começará o jogo dos seus quatro anos no comando do Palácio do Buriti. O governador eleito aproveita o momento de transição como pré-temporada para entrosar a equipe visando resgatar os inúmeros compromissos assumidos durante a campanha eleitoral.

A escalação começou pelo meio de campo. A Secretaria de Fazenda, que vai abastecer as demais pastas com dinheiro para custeio e investimentos, será chefiada por André Clemente, experiente auditor da Receita, que atuou no mesmo cargo nas gestões de José Roberto Arruda, Paulo Octávio e Rogério Rosso.

Para a Casa Civil, o emedebista escolheu um veterano “rodado” em cargos de gestão pública. Eumar Novacki já ocupou a mesma pasta em Mato Grosso, onde também atuou como secretário de Comunicação e chefe de gabinete do governador. Hoje, é secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Outro setor estratégico também será ocupado por um jogador que já atuou em outros times. Na Habitação, Ibaneis escalou Mateus Oliveira, ex-assessor jurídico da Prefeitura de São Paulo. Em Brasília, foi membro do Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan).

O titular da Secretaria de Obras foi uma decisão conjunta da comissão técnica. Izídio Santos Júnior, vice-presidente administrativo e financeiro do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF) foi endossado pelos grandes empresários do setor. Júlio César Reis será mantido na presidência da Terracap seguindo a filosofia de que em time que está ganhando não se mexe.

Confira a escalação do governo Ibaneis até o momento. Quadro: Brasília Capital

O sistema defensivo do novo governo – a segurança pública, está praticamente montado. O secretário será Anderson Gustavo Torres, aliado do futuro presidente Jair Bolsonaro (PSL). O comando-geral da Polícia Militar será da coronel Sheyla Soares Sampaio. O chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) será o deputado federal – não reeleito – Laerte Bessa (PR).

Ibaneis ouviu a torcida e escolheu os chefes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil após formação de listas tríplices, em diálogo com as categorias.  Para o CBM-DF, o futuro comandante-geral será o coronel Carlos Emilson Ferreira dos Santos. E na PCDF, o delegado da 11ª DP (Núcleo Bandeirante), Robson Cândido.

Os capitães do time também já estão definidos. Para a Secretaria de Justiça o escolhido foi Gustavo Rocha, que atualmente atua no governo federal, na subchefia da Casa Civil da Presidência. O controlador-geral do DF será Aldemario Araújo Castro, com passagem pela Advocacia Geral da União e hoje é professor na Universidade Católica de Brasília e coordenador da Dívida Ativa da União.

O ataque ainda está desfalcado. A Saúde não tem nome, mas Ibaneis ausculta o setor para verificar a pressão antes de nomear o próximo secretário. Dr. Gutemberg – presidente do Sindicato dos Médicos e Jorge Vianna – distrital eleito e membro do Sindicato dos Enfermeiros – podem ser os responsáveis pela indicação. Gutemberg, inclusive, tem chances de ocupar o cargo.

A Educação já está definida. A área pode ser responsável pelo grande gol de Ibaneis. Para tamanha responsabilidade, foi contratado um nome de peso: Rafael Parente, ex-subsecretário de Educação na Prefeitura do Rio de Janeiro na gestão de Eduardo Paes (DEM), filho de Pedro Parente, ex-ministro-chefe da Casa Civil, ex-ministro do Planejamento e ex-presidente da Petrobras. Parente tem doutorado em educação pela Universidade de Nova York.

O atacante de velocidade é o jornalista Weligton Moraes. Titular da Comunicação Social, ele terá a missão de manter em alta a imagem de toda a gestão. Conhecido da galera por sua habilidade – já foi secretário de Wanderley Vallin, Joaquim Roriz e Arruda – será o responsável por ter um bom relacionamento com a imprensa.

O treinador Ibaneis também ouve palpites de cartolas. Caciques do MDB, Tadeu Filippelli e José Sarney entraram no campo de treino e garantiram vagas para Ericka Filippelli, na Secretaria da Mulher, e Zequinha Sarney para o Meio Ambiente, respectivamente. Ela é nora do ex-vice-governador; ele é deputado federal, perdeu a disputa para o Senado no Maranhão. Chefiou o Ministério do Meio Ambiente nos governos Lula e Temer.

O vice-governador eleito Paco Britto anunciou na quarta-feira (14) Fabrício Moura, de 34 anos, para o Detran-DF.  E Ibaneis apontou Wander Azevedo, ex-administrador do Lago Sul no governo Agnelo, para ser o presidente da CEB.

Fonte:

Deixe um comentário