O palhaço e o músico jornalista

Pirulito e Rodrigo Rodrigues, o RR, tinham em comum o poder de unir as pessoas. Foto: Divulgação

A morte do jornalista e músico Rodrigo Rodrigues, na terça-feira (28), aos 45 anos, tornou pública uma capacidade que ele tinha e apenas os amigos mais próximos conheciam: a de unir as pessoas. O apresentador do SporTV usava a música, sua grande paixão, para aproximar os amigos

As homenagens a ele geraram outro fato inédito: pela primeira vez, os canais concorrentes SporTV e ESPN se juntaram. Jornalistas de esquerda, de direita, roqueiros, sambistas. Todos choraram a morte de RR, como Rodrigo Rodrigues era carinhosamente conhecido no meio.

Na sexta-feira (24), véspera da internação de RR com sintomas de covid-19, no Rio de Janeiro, morreu em um hospital do Gama, no Distrito Federal, de parada cardiorrespiratória após complicações de um segundo acidente vascular cerebral (AVC), o Palhaço Pirulito.

José dos Santos Cavalcante, nome de batismo de Pirulito, tinha 54 anos. Era querido por torcedores e moradores do Gama e respeitado por todos os amantes do esporte do DF. O palhaço que alegrava e coloria as ruas, portas de escolas e estádios com seus pirulitos e balões multicoloridos, deixou seu lugar marcado como torcedor-símbolo do Gama.

Ele sobrevivia com salário de uma pequena aposentadoria. O “extra” do comércio ambulante, doava ou comprava ingressos para quem quisesse assistir os jogos do “Gamão do Povão” e não tinha dinheiro. E Pirulito morreu como viveu: só.

RR e Pirulito, cada um a seu modo e em diferentes condições, nos ensinaram que precisamos de união e humildade. O futebol é a paixão do brasileiro e de milhões de aficionados em todo o mundo.

Não há nada que una mais as pessoas do que esse esporte. E o futebol aproxima RR e Pirulito após a morte de ambos. Que as diferentes lições deixadas pelo músico jornalista e pelo palhaço solidário estejam mais presentes no nosso dia a dia e nos inspirem, especialmente neste momento difícil que todos estamos vivendo!

Agora, estamos todos na torcida para que a alegria, a humildade, o respeito e o poder de unir as pessoas, por mais diferentes que sejam, que RR transmitia na TV e Pirulito nos estádios, sejam mais presentes e nos inspirem.

Obrigado, RR. Muito obrigado Pirulito! Vocês talvez não tenham se conhecido neste plano, mas certamente se encontrarão. E, juntos, tornarão a vida mais leve e melhorarão a energia positiva que vibra no universo, onde quer que estejam.

Esta é a nossa torcida. Este é o desejo que move a nossa fé.

Deixe um comentário