Número de ciclistas mortos cai 60% em 10 anos

O número de ciclistas mortos nas vias do Distrito Federal caiu 62,6% em dez anos. Foram 27 acidentes fatais com bicicletas em 2013, contra 69 ocorrências em 2003. Os dados divulgados pelo Detran nesta quarta-feira (16) marcam o Dia Mundial do Ciclista, celebrado em 15 de abril.

 

De acordo com o boletim Bicicletas 2013, em 2012 foram registrados 32 acidentes fatais envolvendo ciclistas, 15,6% menos que no ano passado.

 

Segundo os dados, dos 27 mortos em acidentes que envolveram bicicletas, 26 eram ciclistas, e um, motociclista. Entre os ciclistas mortos, foram 25 homens e uma mulher, ou seja, 96,3% das vítimas eram do sexo masculino. A faixa etária com maior número de acidentes foi a de 20 a 29 anos, com seis mortes. O domingo foi o dia da semana com mais ocorrências.

 

Outro dado a destacar é que a maior parte das ocorrências aconteceu no Recanto das Emas e no Gama, com duas mortes por cidade. O período do dia que registrou o maior número de acidentes foi o noturno, das 18h às 23h59. Por isso, o Detran recomenda que os ciclistas usem roupas claras e faça uso de refletores à noite.

 

Incentivo – Além de saudável, circular pelo DF é agora motivo de orgulho para os brasilienses que, nos últimos anos, passaram a contar com políticas de construção de ciclovias, implantação de ciclofaixas e campanhas de conscientização e proteção dos ciclistas. Tais medidas contribuem de forma positiva para a redução dos acidentes fatais com bicicletas.

 

“O Distrito Federal é o estado com maior número de ciclovias no Brasil. A bicicleta é um veículo relativamente novo no DF, e precisa de entrosamento entre os ciclistas e motoristas”, destacou o diretor-geral do Detran, Rômulo Félix.

 

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, o maior protege o menor. Mesmo assim, o Detran está com campanha educativa que estimula a convivência pacífica e recomenda aos ciclistas que parem nos cruzamentos cicloviários e sinalizem sua intenção de atravessar.

 

“Ao sinalizar, o ciclista não estará pedindo permissão para transitar, mas é uma forma de se fazer visto e evitar acidentes. Assim como o pedestre dá sinal de vida para atravessar na faixa, também orientamos o ciclista a sinalizar, pois mesmo que não esteja no código de trânsito, estes gestos reduzem acidentes”, enfatizou o diretor.

 

Dicas de Segurança

 

Ciclista:

– Faça-se visível e sinalize suas intenções;

– Respeite as Leis de Trânsito e use itens de segurança obrigatórios da bicicleta, como retrovisor esquerdo, campainha, sinalização noturna traseira e dianteira, refletores laterais e nos pedais;

– Use capacete;

– Planeje seu caminho antes de sair de casa e dê preferência às ciclovias;

– Nas travessias exclusivas de ciclovia, pare e faça o sinal de vida;

 

Condutor:

– Lembre-se: o maior protege o menor;

– Mantenha distância de 1,5m do ciclista;

– Redobre a atenção nas proximidades das ciclovias

Fonte:

Deixe um comentário