Noruega corta R$ 200 milhões de auxílio ao Brasil durante visita de Temer

Michel Temer é recebido pelo embaixador brasileiro George Monteiro Prata ao desembarcar em Oslo para visita oficial à Noruega. Foto: Beto Barata/PR

Não fez sucesso a incursão de Michel Temer na Europa para divulgar o que ele trata como clima de normalidade democrática no Brasil. A Noruega, conhecida pelo alto índice de desenvolvimento humano, anunciou um corte de quase R$ 200 milhões ao Fundo da Amazônia.

Segundo o representante norueguês, os cortes no orçamento do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e a crise política que o Brasil atravessa explicam o aprofundamento das taxas de desmatamento na Amazônia.

Questionado se poderia garantir que o desmatamento no Brasil será reduzido, o ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, respondeu: “Só Deus pode garantir isso”. Sendo assim, a Noruega cortou oficialmente 50% do envio de dinheiro ao Brasil para a luta contra o desmatamento. Sarney Filho ainda culpou o governo de Dilma Rousseff pelo desmatamento

“Vimos grandes resultados na última década no Brasil e uma tendência preocupante nos últimos dois anos”, disse o ministro do Meio Ambiente da Noruega, Vidal Helgeser. “Esperamos que possamos ver um retorno a uma tendência positiva. Caso contrário, seremos obrigados a dizer que vamos reduzir o montante de nosso apoio”, declarou.

Repercussão – Apenas um jornalista local acompanhou o discurso do presidente brasileiro, que teve interesse limitado na Europa e foi destaque apenas na emissora pública norueguesa, a NRK. Mesmo na matéria em que foi citado, Temer sofreu críticas.

Lembrando que menos de 10% da opinião pública o apóia, a NRK apontou que Temer chama seu “ex-amigo” Joesley Batista de “o criminoso mais perigoso” do Brasil. Segundo a emissora, a crise brasileira tem tido um “forte impacto” nas empresas norueguesas.

Com informações da Agência Estadod.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Deixe um comentário