Mulheres empreendedoras fazem a diferença no DF

O Brasil perdeu no domingo (2), a embaixatriz Lúcia Flecha de Lima. Casada com o embaixador aposentado Paulo de Tarso Flecha de Lima, representaram o país junto aos governos da França, Estados Unidos, Inglaterra e Itália. Sempre elegante Lúcia fez muitos amigos, dentre eles o casal Bill e Hillary Clinton e a princesa Diana de quem se tornou também confidente.

Com a aposentadoria do marido, a embaixatriz viveu seus últimos anos em Brasília onde foi secretária de Turismo no DF, presidente da Casa do Candango e desenvolveu um importante trabalho na Comissão de Relações Exteriores do Senado, sendo exemplo para muitas pessoas.

Mulheres empreendedoras

Mas Brasília, conhecida pelas questões políticas, é também exemplo no que se refere ao empreendedorismo feminino. Mulheres fortes ajudam a construir a cidade. O grupo Mulheres Empreendedoras Brasil (MEB) formalizado no ano passado, conta hoje com 75 associados.

Ana Paula Guedes, que criou o Mulheres empreendedoras Brasil

Ana Paula Guedes, criadora do grupo,  afirma que o  “Mulheres Empreendedoras Brasil (MEB),  é uma verdadeira rede de contatos, algo que não sirva apenas para  relações sociais, mas sim, para  ajuda mútua e que o mais importante é a união e coletividade,por isso, o grupo tem crescido e fará a diferença no DF e em todo Brasil.”

Desse grupo participa uma grande variedade de empresas geridas por mulheres, em diferentes segmentos, que incluem construtoras, clínicas médicas, escritórios de contabilidade, seguradoras, agências de comunicação e restaurantes. Dentre outras atividades, elas fazem rodadas de negócios, e são referência para quem procura histórias inspiradoras e exemplos vivos de que a criatividade pode ser a resposta certa para alcançar o sucesso profissional.

Rodada de negócios de mulheres empresárias e empreendedoras do DF

Associação de Mulheres Empreendedoras

A Associação de Mulheres Empreendedoras criado pela empresária Cristina Boner, em 2004, uniu um grupo de mulheres bem sucedidas com o intuito de fundar uma associação civil, sem fins lucrativos e de interesse público, em prol da valorização da mulher e fomento a participação feminina na sociedade.

A AME tem como fundadoras mulheres que fazem a diferença na sociedade brasiliense como  Alice Mesquita de Castro, Carla Amorim, Carla Cico, Claudia Aguiar Vasconcelos Gueiros Bernardes, Claudia Pereira, Conceição Pinheiro, Cristina Arnez Coelho, Cristina Castro Lucas de Souza Depieri, Denise Zuba, Eda Castro de Souza, Gladys Buarque, Inaê Amado, Karina Boner, Mara Amaral, Mariana Boner , Maria Cristina Brochado Costa, Maria Cristina Boner, Maria Jose Cordeiro da Rocha de Vasconcelos, Maria José Conceição Maninha, Marisa Aguiar Vasconcelos, Nadia Stella Canhedo, Simone Valois.

Todas essas mulheres ajudam a construir uma cidade além da política partidária, incentivando e estimulando a criação de políticas públicas que contribuam para a melhoria da qualidade de vida por meio da educação. Além disso, buscam ampliar o seu campo de atuação reforçando a rede de proteção e atendimento às vítimas de violência doméstica e familiar do Brasil, além de informar a sociedade sobre as condições e os direitos das mulheres.

document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);

Fonte:

Deixe um comentário