Moradores de rua apavoram em Taguatinga

Major Elias, do 2º BPM questiona fragilidade da legislação

Os roubos e furtos a comércios estão assustando os empresários de Taguatinga. Desde o início do ano, dezenas de lojas foram arrombadas na cidade. Mas o índice é menor do que as ocorrências do mesmo período do ano passado. Ao contrário dos furtos no interior de veículos e dos assaltos a transeuntes, que cresceram não só na cidade, mas em todo o Distrito Federal.

O comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar, major Elias Costa, afirma que a corporação intensificou o policiamento preventivo e conta com 55 câmeras de monitoramento funcionando nas áreas comerciais norte, sul e central, o que vem contribuindo para a diminuição dos índices de criminalidade em Taguatinga.

“Nosso efetivo, que conta com 250 policiais e 14 viaturas por turno de serviço, está diuturnamente nas ruas para reprimir a ação dos bandidos”, diz o oficial, que comemora o fato de contar com o apoio da comunidade no planejamento operacional. Mas ele lamenta a precariedade da legislação, que libera quase 80% dos bandidos presos em flagrante. “Estamos enxugando gelo”, desabafa.

Graças ao monitoramento por câmeras, a PM já identificou que as invasões a lojas têm sido feitas, em sua maioria, por moradores de rua. “Eles ficam sob as marquises, aparentemente dormindo sobre papelões e debaixo de cobertores, e entram em ação de madrugada, quando as ruas estão praticamente desertas”.

Com essa estratégia, em dezembro, moradores de rua arrombaram quatro comércios no mesmo prédio, na Samdu Norte. As invasões foram feitas em sequência, sempre de madrugada, usando a mesma estratégia. Eles furtam roupas, bebidas, equipamentos eletrônicos e, eventualmente, dinheiro e pequenos objetos.

“Como boa parte deles é dependente químico, acabam trocando o produto do crime por drogas ou vendem as mercadorias também para satisfazer o vício”, explica o major Elias. Além do 190, ele diz que a população de Taguatinga pode comunicar situações suspeitas pelo whatsapp do próprio 2º BPM: 61-98301-1149.

O salão de beleza foi arrombado na madrugada de quinta para sexta-feira. Foto: Thiago Oliveira

Disfarce – Na madrugada de quinta (17) para sexta-feira, o alvo foi o salão GNE, na C-8 – centro da cidade. Por volta das 4h30 da madrugada, o vigilante de uma galeria próxima ouviu barulhos estranhos. Mesmo sem se expor, gritou, avisando que estava vendo a movimentação dos ladrões, que arrombaram a porta da loja.

Provavelmente assustados com a presença de trabalhadores que chegavam a uma lanchonete próxima, eles fugiram, levando pequena quantidade de dinheiro que estava no caixa. Tentaram passar para outro estabelecimento no mesmo prédio mas não tiveram tempo ou não conseguiram acesso pelo fosso de ventilação.

“É importante que as pessoas registrem ocorrência e comuniquem aos órgãos de segurança sobre a presença dessas pessoas, que são bandidos disfarçados de moradores de rua. Nosso efetivo está orientado a abordá-los, embora não seja crime permanecer na rua de madrugada”.

 

O laboratório ficava no quarto de uma menina de 2 anos, na QR 501 conjunto 1 casa 11, em Samambaia. Foto: PMDF

Crack no quarto da filha de 2 anos

Na mesma noite da invasão ao salão na C-8, um homem de 28 anos foi preso no centro da cidade. A equipe do Grupo Tático de Operações (GTOP 22) recebeu denúncia anônima de que o indivíduo transportava crack diariamente de Samambaia para Taguatinga em um Fiat Palio, placa JFY 2712.

O condutor abordado e flagrado com meio quilo de crack dentro do veículo. Ele autorizou os policiais irem até sua residência, na QR 501 conjunto 1 casa 11, em Samambaia. Lá, foi descoberto um laboratório de beneficiamento da droga, que funcionava no quarto da filha do traficante. O homem e sua mulher foram conduzidos à delegacia e autuados em flagrante por tráfico.

Drogas – Outra investida da equipe GTOP 22 prendeu três homens que estavam em atitude suspeita no Uno Vivace branco placa 3696 estacionado em frente à Casas Bahia. Durante patrulhamento tático na área de Taguatinga Centro, a equipe do Gtop 22 alfa avistou três homens em atitude suspeita  dentro de um Uno Vivace Branco, placa PAD 3696, estacionado em frente a Casas Bahia.

Nas buscas feitas dentro do veículo foram encontrados diversas porções de drogas: 200 gramas de crack, 50 gramas de skank e 50 gramas de maconha. Detido, o trio foi encaminhado à DP afim de serem tomadas as devidas providências.

Fonte:

Deixe um comentário