Ministério Público notifica PM e determina “uso da força” contra manifestações

Quartel do Comando-Geral da PM – Espírito Santo    –     Foto: Divulgação

A Folha Vitória, jornal capixaba, informa que o comandante geral da Polícia Militar, Coronel Nylton Rodrigues Filho, foi notificado pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES) nesta terça-feira (7) para que coloque as tropas na rua “vencendo eventual resistência e fazendo uso progressivo da força”.

Também foram notificados os comandantes regionais e oficiais das unidades de todo o Espírito Santo.

No documento, a Promotoria de Justiça junto à Auditoria Militar solicita que as tropas estejam na rua em quatro horas. Como as partes foram informadas por volta das 12h15, o prazo vence às 16h15.

Vencido o prazo, o MPES enfatiza que os militares que permanecerem aquartelados “devem ser nominalmente listados e encaminhados” à Promotoria de Justiça “para providências”.

Na notificação, o MPES considera que o movimento de familiares tem impedido a saída de militares dos batalhões para realizar o policiamento ostensivo e que é possível o envolvimento de militares no movimento, ainda que a conduta seja vedada pelo Código Penal Militar.

O órgão pontua possível participação das Associações Militares no custeio do movimento grevista e uma suposta omissão dos oficiais que, na visão do MPES, deveriam agir para vencer a resistência. O Ministério Público informou ainda “que adotará todas as medidas de responsabilização cíveis e criminais cabíveis contra todos os que contribuíram para os terríveis eventos que têm sido vivenciados pela sociedade capixaba nos últimos dias”.

d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Fonte:

Deixe um comentário