Metroviários entram em greve no DF; metade das estações está aberta

19592066179_b50246b4d6_k
 
Categoria reforça greve geral contra suspensão de reajustes. Empresa montou esquema especial para manter parte do serviço
 

Metroviários decidiram cruzar os braços por tempo indeterminado a partir desta terça-feira (3) para protestar contra a suspensão de reajustes salariais dos servidores públicos do Distrito Federal. Para garantir o funcionamento de parte do serviço, o Metrô elaborou esquema especial e vai manter 12 das 24 estações abertas para embarque e desembarque (veja tabela abaixo), e todas serão reforçadas com policiais militares e bombeiros.

Entre os outros pedidos da categoria estão a convocação dos aprovados no concurso de 2013, saída de comissionados em excesso, revogação do reajuste das tarifas, cumprimento integral do Acordo Coletivo de Trabalho da categoria, execução dos projetos de modernização do sistema metroviário e revisão e redução do número e valor de contratos de terceirização.

Dos 1,2 mil funcionários da empresa, 300 estavam trabalhando no início desta segunda. Por causa do déficit no quadro, parte das estações precisou liberar as catracas para a entrada dos passageiros. Além disso, só 15 dos 24 trens que rodariam no horário de pico circulavam às 7h.

O serviço atende diariamente 140 mil pessoas, entre 6h e 23h30 de segunda a sábado e 7h às 19h aos domingos. O Metrô circula nas regiões mais populosas do DF – Ceilândia, Taguatinga e Samambaia. Ele também passa por Águas Claras e Guará. O sistema tem 42,3 quilômetros de extensão. A estação com maior fluxo é a da Rodoviária do Plano Piloto, por onde passam 20 mil pessoas por dia.

O governador Rodrigo Rollemberg anunciou a suspensão dos reajustes, concedidos de forma escalonada em 2013, alegando não haver dinheiro em caixa para fazer os repasses. A medida integra um pacote, que traz ainda aumento nas tarifas de ônibus e metrô, implantação de um plano de demissão voluntária nas empresas públicas, aumento de impostos e nos valores de entrada do zoológico e dos 13 restaurantes comunitários. O DF tem 141 mil servidores públicos na ativa.

Com a decisão, várias categorias do funcionalismo entraram em greve. O governador chegou a apresentar um plano para pagamento dos reajustes a partir de outubro do ano que vem, que desagradou servidores. Parte só voltou ao trabalho depois de a Justiça decretar os atos ilegais. Médicos, auxiliares e técnicos em enfermagem, agentes do DER e professores seguem paralisados.

Veja situação nas estações:
Estações abertas para Embarque/Desembarque

Estação Central (Rodoviária)
Estação Galeria
Estação 112 sul
Estação Park Shopping
Estação Guará
Estação Águas Claras
Estação Praça do Relógio
Estação Ceilândia Sul
Estação Ceilândia Centro
Estação Terminal Ceilândia
Estação Furnas
Estação Terminal Samambaia

Estações abertas para Desembarque
Estação 102 Sul
Estação 108 Sul
Estação 114 Sul
Estação Asa Sul
Estação Feira
Estação Arniqueiras
Estação Concessionárias
Estação Taguatinga Sul
Estação Samambaia Sul
Estação Guariroba
Estação Centro Metropolitano
Estação Ceilândia Norte


Leia mais:


 

Eleição na Cabe mobiliza PMDF


Servidores da Secretaria da Saúde do Distrito Federal encerram greve


População aposta na força da união para reconstruir a comunidade de Santa Luzia


 

 

Fonte: ,

Deixe um comentário