Médiuns interesseiros

Poucos médiuns entendem o que é, realmente, mediunidade, e o que significa ser médium. Segundo Emmanuel, mediunidade é um dom divino dado àquelas pessoas que faliram fragorosamente. Segundo Jesus, é um dom gratuito de Deus e deve ser distribuído gratuitamente, dando de graça o que de graça se recebeu. Disse ele: “Curai enfermos, purificai leprosos, ressuscitai mortos, expulsai demônios. Graciosamente recebestes, graciosamente dai”.

Logo, é proibido cobrar ou aceitar qualquer tipo de recompensa. Mediunidade é um compromisso entre o médium e Deus. Deus não vem pessoalmente ajudar seus filhos. Ele os ajuda por meio dos seus filhos. Não cabe ao médium usar a mediunidade para se promover, ganhar dinheiro, tornar-se famoso, receber aplausos, abusar da fé alheia ou explorar os espíritos. Espíritos são companheiros de viagem também necessitados de evolução. Quando homenageado, o médium deve recebe humildemente o reconhecimento, atribuindo à Doutrina a verdadeira homenagem.

Infelizmente, muitos médiuns promissores se perdem na caminhada, iludidos por aplausos ou tentações: sexo, ambição, vaidade, má vontade etc. Médiuns interesseiros, ao adotarem condutas sem ética, são advertidos e, se insistirem, perdem as companhias dos bons espíritos. Médiuns devem ter suas ocupações profissionais que atendam suas necessidades humanas. Mediunidade não é profissão.

Ao ser advertido por Emmanuel, no final do vida, Chico Xavier retrucou; “ eu estou no final da vida e você ainda fica me chamando a atenção!”. Emmanuel respondeu-lhe: “às vezes, é no final da vida, que ocorrem as provas mais difíceis”.

Para Ivone Pereira que, a certa altura da vida passou a sentir intensa alegria, seu guia Charles explicou-lhe: “você está sentindo essa alegria porque já resgatou a maior parte do seu carma”. Doente, Divaldo Franco alegou que não podia ir fazer caridade, e sua mentora respondeu-lhe: “pensei que você fosse lá receber a caridade”. Dispa-se de conduta interesseira. Seja ético. Alegre-se, estude e ponha o coração na ação. No final, como ensinou Madre Tereza, “tudo é entre você e Deus”.

Deixe um comentário