Manifestações pró-Bolsonaro: Mais carro do que gente

Manifestações aos domingos a favor do presidente Jair Bolsonaro estão se tornando rotineiras em Brasília. Em comum, o fato de formarem grandes carreatas e, proporcionalmente ao número de veículos, pequena presença de pessoas. Não foi diferente no último fim de semana.

​A Polícia Militar não divulgou números. Porém, especialistas consultadas pelo Brasília Capital estimam que eram de 3 mil a 5 mil pessoas. A carreata se formou a partir da Catedral e se estendia até a Torre de TV, ocupando as seis faixas do Eixo Monumental. Chamou a atenção a presença de 30 carretas de uma mesma empresa.

Churrasco em frente ao Ministério da Agricultura oferecido a apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e funcionários.

Churrasco – Em meio a foguetório e muitas faixas – várias defendendo o fechamento do Congresso e do STF e pedindo um “regime democrático militar”, todas bandeiras antidemocráticas e inconstitucionais – o manifestantes se concentraram, basicamente, nas imediações do Planalto, por volta das 11h, e, a partir do meio-dia, na área externa do Ministério da Agricultura.

Ali, formaram grandes filas para se servir de um farto churrasco preparado sob sofisticadas estruturas de lona montadas no gramado. A reportagem não conseguiu descobrir quem oferecia, gratuitamente, as refeições para mais de 2 mil pessoas.

Ônibus estava estacionado na QNA, em Taguatinga.

Paraquedistas – No sábado (16), o site do Brasília Capital mostrou que um grupo de cerca de 40 pessoas veio em um ônibus do Rio de Janeiro para participar da manifestação e se instalou numa casa na QNA 40/51, em Taguatinga Norte. Chamava a atenção pelo comportamento semelhante à de militares. À tarde, eles mesmos publicaram vídeos se identificando como reservistas da brigada de paraquedistas, perfilados ao lado do ônibus que os trouxe. Em seguida, foram se exercitar no Taguaparque, cantando palavras de ordem.

Nas laterais, o ônibus carregava faixas com os dizeres “Capitão – Estamos juntos nesta batalha – Adsumus”. Também tinha um desenho que seria a logomarca do grupo que se autointitula “Audazes”. Adsumos, do latim, significa “estamos presentes”. O termo vem do verbo adsum, que quer dizer estar presente, estar aqui, ou estamos juntos. É usado com a intenção de marcar presença e atenção constantes.

A palavra é empregada no sentido de demonstrar prontidão e de confirmar que se está atento aos acontecimentos. Responder adsumus significa demonstrar que se está pronto para atender a um chamado ou a uma ordem a qualquer momento. No Brasil, o termo foi adotado em 1958 pelos Fuzileiros Navais da Marinha, no Rio.

Deixe um comentário