Mané Garrincha: a bola da vez

Mané Garrincha – croqui área a ser privatizada

No meio desse imbróglio todo, a privatização do Complexo Desportivo que reúne estádio, autódromo e ginásio de esportes ganhou um ingrediente novo. Para tornar mais palatável a privatização daquela área, o GDF propõe a possibilidade de que quem assumir as instalações desportivas possa erguer um centro comercial a céu a aberto, uma espécie de mall, denominada Boulevard, entre o estádio e o autódromo.

Puxão de orelha
Dentro de 45 dias deve sair o edital para a privatização da área, avaliada em 1,653 milhão de metros quadrados – uma mancha que vai das imediações do UniCeub na Asa Norte até o Eixo Monumental; e do Setor Hoteleiro Norte até as proximidades do Palácio do Buriti. A iniciativa, embora tenha contado com a bênção do IPHAN é considerada agressiva ao tombamento do Plano Piloto enquanto Patrimônio Universal da Humanidade. Em algumas localidades dessa área, poderão existir edificações de até 12 metros de altura. Segundo Vera Ramos, as 36ª e 37ª Decisões do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco ao Brasil, em 2012 e 2013, determinaram que projetos para a área do Estádio Mané Garrincha e seus arredores sejam submetidas previamente ao Centro do Patrimônio Mundial, “antes de qualquer compromisso de

aprovação de projeto ou execução de obras”.

Do Rio de Janeiro, a filha de Lúcio Costa e tia de Rollemberg entrou nessa empreitada de tentar proteger o projeto de Brasília. Nas redes sociais, Maria Elisa Costa foi instada a dar um puxão de orelha no sobrinho, mas respondeu: “santo de casa não faz milagre!!!”

DNA para a coisa errada

Se um dia pesquisadores genéticos analisarem o DNA do Clã Roriz, será que vão encontrar um gene que leve seus integrantes a cometer o malfeito? Não bastasse os problemas judiciais de Joaquim Roriz, Jaqueline e Liliane, agora é a vez do sobrinho, Dedé Roriz dedicar-se a burlar as leis.

Em plena campanha eleitoral fora de época, Dedé tem distribuído cestas básicas e outros agrados por onde passa. Tudo é registrado por sua equipe e postado nas redes sociais com legendas do tipo “Enquanto alguns só ficam de blá, blá, blá nos grupos de zap, e não ajudam os mais carentes. Dedé Roriz FAZ !!”. Isso, sem contar os outdoors já espalhados pelas rodovias do DF. Se o Ministério Público decidir agir, ele pode até ficar inelegível, como seus familiares.

Deixe um comentário