Mais de 443 mil brasileiros tiveram dados do Facebook expostos

Mais de 443 mil usuários brasileiros do Facebook tiveram seus dados expostos pela Cambridge Analytica sem o devido consentimento. O Brasil aparece listado na oitava posição com maior número de contas afetadas. No mundo inteiro, esse número passa dos 87 milhões. Os EUA lideram o ranking, seguido de Filipinas e Indonésia.

Em comunicado oficial, o CTO da rede, Mike Schroepfer, falou sobre atualizações a respeito do caso e modificações sobre a forma como a rede social vai lidar com o uso de informações de agora em diante.

O Facebook ainda informa que não tem capacidade para saber precisamente quais dados foram compartilhados, nem o número exato do que foi usado pela Cambridge Analytica. Logo, os dados atualizados são uma estimativa baseada no número de contas que participaram da pesquisa distribuída pela empresa.

A empresa também acredita que dados da maioria dos seus 2 bilhões de usuários tenham sido utilizados de forma indevida por empresas externas ao Facebook, assim como fez a Cambridge Analytica. Contudo, a companhia de Zuckerberg também não sabe precisar o número, ainda. “Dada a escala e a sofisticação da atividade que vimos, acreditamos que a maioria das pessoas no Facebook poderia ter seu perfil aberto”, escreve o CTO.

“Não tínhamos uma visão suficientemente ampla de nossa responsabilidade e isso foi um grande erro. Foi um erro meu”, disse o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, em teleconferência com jornalistas. “Estamos ampliando a visão de nossa responsabilidade.”

Zuckerberg deverá comparecer em audiência conjunta do Comitê Judiciário e de Comércio do Senado dos EUA em 10 de abril para discutir o papel do Facebook na sociedade e a privacidade dos usuários. O governo da Austrália informou que iniciou uma investigação formal para verificar se o Facebook violou as leis de privacidade do país.

Entenda o caso

No mês passado, uma reportagem do The Guardian denunciou que a empresa Cambridge Analytica usou um questionário para conseguir acesso a dados de, até então, mais de 50 milhões de usuários do Facebook sem consentimento, número que foi atualizado hoje para 87 milhões.

O Facebook contratou uma auditoria forense externa para colaborar com a análise do caso. Além da auditoria, a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (Federal Trade Commission ou FTC, no original em inglês) decidiu investigar o Facebook.

Embora o Facebook diga que a Cambridge Analytica já teria apagado os dados, o Channel4 denunciou que as informações ainda estão dispníveis na rede.

Fonte: , ,

Deixe um comentário