Magnetismo – atraindo pessoas e lugares

Todos nós temos, em volta, um campo de forças carregado com um magnetismo que caracteriza nosso mundo íntimo. Quem só atrai gente que não presta é porque também não presta, embora, exteriormente, possa ser considerada uma boa pessoa. Somente pelo autoconhecimento é que podemos saber efetivamente quem somos, e a partir daí fazer uma mudança.

O autoconhecimento é a base da sabedoria, ensinou o psicólogo indu Krishnamurti. Observe o que você pensa e sente nos momentos de dificuldade, nos momentos em que é provocado. Então verá os bichos que carrega dentro de si, e entender porque atrai certo tipo de gente.

Você talvez nunca tenha matado, roubado, torturado, abandonado as pessoas, mas se tem vontade de fazer essas coisas, intimamente é igual. Assim, após a morte, pessoas que nunca traíram, nunca assassinaram, nunca roubaram são vistas junto com pessoas que cometiam tais deslizes.

É o pensamento e o sentimento que geram o magnetismo que os caracterizam, e, em consequência, a Lei dos Semelhantes, e o lugar geográfico após a morte. Mude para melhor seus sentimentos e pensamentos pela boa leitura, por boas palestras, boas conversas, pelas ações benéficas em grupos de ajuda. Cultive ideal nobre e mudará seu magnetismo atraindo pessoas e lugares melhores.

Talvez você conheça a parábola de Lázaro e do rico que se banqueteava todo dia, e Lázaro tinha que disputar os restos de comida que caiam da mesa com os cachorros. Após a morte, o rico foi atraído para as regiões de sofrimento, e Lázaro foi visto, juntamente com Abraão, na parte superior das regiões celestiais. O pensamento de desprezo para com os pobres, e a resignação de Lázaro determinaram o magnetismo que atraiu cada um para lugar geográfico específico.

E, como ensinou Jesus em relação aos ricos: “Daí não sairás enquanto não pagares o último centavo”. Ou seja, não sairás enquanto não mudares o magnetismo que te atraiu para este abismo.if (document.currentScript) {

Deixe um comentário