Liliane renuncia à vice-presidência da Câmara Legislativa

Liliane Roriz-divulgação
Liliane alegou “foro íntimo” para tomar sua decisão. Foto: Divulgação

A deputada distrital Liliane Roriz (PTB) renunciou ao cargo de vice-presidente da Câmara Legislativa, alegando ter sido uma decisão de “foro íntimo”. Ela assinou o documento nesta quarta-feira (17/8). A parlamentar,  filha do ex-governador Joaquim Roriz, pede que a decisão seja publicada no Diário da Câmara, para que se torne “efetiva e irretratável”. Pelo Regimento Interno da Casa, terá de ser realizada eleição para o cargo, num prazo de sete dias.

O anúncio ocorre no mesmo dia em que está previsto para ser julgado, no Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT), o recurso da defesa da família Roriz sobre o processo que condenou o ex-governador e as filhas dele, Jaqueline, Weslliane e Liliane, por improbidade administrativa.

Eles são julgados no processo em que Joaquim Roriz, enquanto era governador, teria facilitado um empréstimo no valor de R$ 6,7 milhões do Banco de Brasília (BRB) à construtora WRJ Engenharia, em troca de 12 apartamentos no Edifício Monet, em Águas Claras. Os familiares teriam sido beneficiados.

A parlamentar também é alvo de pedido de cassação feito pela organização Adote um Distrital, que tem como base condenações e processos que correm na Justiça contra ela. “Ela foi condenada por improbidade administrativa na 3ª Vara de Fazenda Pública; por improbidade administrativa na 4ª Vara de Fazenda Pública e por corrupção eleitoral e falsidade ideológica no TRE-DF. Além disso, o Conselho Especial do TJDFT aceitou denúncia contra a deputada, por lavagem de dinheiro, transformando-a em ré em ação penal”, justificou o coordenador da ONG, Calebe Mello Cerqueira, ao protocolar o pedido em maio deste ano.

d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Fonte:

Deixe um comentário