Leniência é um “negócio da China” para a JBS, diz senadora

Senadora citou levantamento da ONU que aponta que a corrupção seria responsável por desvios de R$ 200 bilhões por ano no Brasil. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Em pronunciamento na manhã desta sexta-feira (2) no Plenário do Senado, a senadora Ana Amélia (PP-RS) classificou como “um verdadeiro negócio da China” o acordo de leniência fechado pelo grupo JBS com o Ministério Público na terça-feira (30). Citando artigo publicado pelo jornalista Reinaldo Azevedo na Folha de S. Paulo, a senadora voltou a manifestar dúvidas éticas quanto ao acordo, que resultou numa multa de R$ 10,3 bilhões.

“Sinceramente, quando a multa é muito grande, eu desconfio que é para não pagar. A correção da multa se fará apenas pelo IPCA, que está em 4,08% no acumulado de 12 meses. Mas a taxa de retorno da JBS chega a 12,34%. É só sacar a calculadora. Para pagar a multa, basta a JBS investir R$ 5,3 bilhões no próprio negócio – advertiu Ana Amélia, para quem a sociedade precisa estar alerta a processos como esse, que na sua opinião pode ser ‘mais um prêmio para bandidos'”, disse a senadora.

Ela também citou um levantamento da própria Organização das Nações Unidas (ONU), segundo o qual as práticas de corrupção seriam responsáveis por desvios de recursos públicos da ordem de R$ 200 bilhões por ano no Brasil, além de produzir um impacto negativo no crescimento do PIB. Para a senadora, apesar de a corrupção ser quase sempre associada à classe política no país, o fenômeno é como um câncer em nossa sociedade, já atingindo a classe empresarial, o Judiciário, o Ministério Público e as próprias instâncias investigatórias.document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);

Fonte:

Deixe um comentário