Lei facilita o registro de novas empresas no Distrito Federal

22961638566_3c4745a062_z

A Lei de Simplificação das Atividades Econômicas do DF passa a valer a partir desta semana e promete agilizar o processo de regularização de pequenas e microempresas, reduzindo o tempo de espera dos empresários de 120 para 10 dias.

As exigências atuais de carimbos e laudos de órgãos passam a ser feitas por meio de um sistema virtual. “Ao invés de o empresário sair atrás de diversos órgãos para conseguir a licença, é a documentação que vai correr num sistema unificado.”, explica Andrea Magalhães, analista da Unidade de Políticas Públicas de Desenvolvimento Territorial do Sebrae DF.

A Lei está sendo aplicada em Brasília como projeto-piloto para todas as capitais do país, e tem sido bem recebida pelo setor de comércio. Especialmente por regularizar a situação dos negócios já existentes, como quiosques que se espalham pela cidade. “Quando o empresário formaliza seu estabelecimento, ele consegue crescer com mais facilidade. Isso cria um ciclo virtuoso”, conta Andrea”.

Além disso, são esperados novos investimentos de dentro e fora do DF, o que iria gerar um aumento de recursos circulando na cidade. “É uma Lei que modifica a relação do Estado com as empresas, agiliza prazos e diminui a burocracia”, explica Adelmir Santana, presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF).

Representação

A medida, contudo, corre o risco de ser modificada. O Ministério Público encaminhou uma representação à Justiça pela inconstitucionalidade da lei.

Para os promotores, autorizar atividades econômicas com base em declarações do empresário contraria aLei Orgânica do DF.


Leia mais:


 

Mantas que evitam contaminação do solo começam a ser instaladas no Aterro Oeste


Governo de Brasília apresentará proposta para regulamentar serviços como o Uber


Buraco do Tatu será fechado no final de semana


 

 

Fonte: ,

Deixe um comentário