Justiça nega liberdade a donos da boate Kiss

Vinte dias depois da tragédia na boate Kiss, em Santa Maria (RS), que matou 239 pessoas, a Polícia Civil se apressa para terminar o inquérito, que deve ser entregue até o dia 26. Mais de 200 pessoas já foram ouvidas e as 1,6 mil páginas de laudos técnicos estão sob análise. Até o fechamento desta edição, 37 pessoas continuavam internadas, seis respirando com ajuda de aparelhos.

 De acordo com a polícia gaúcha, os depoimentos corroboram a tese de que há um conjunto de responsabilidades e circunstâncias que levaram ao incêndio. Ontem, a Justiça do Rio Grande do Sul negou o pedido de sigilo das investigações, feito pelos advogados dos sócios da boate Mauro Hoffmann e Elissandro Spohr.

 Em seu despacho, o juiz Ulysses Fonseca Louzada, da 1ª Vara Criminal de Santa Maria, ressaltou que a tragédia alcançou repercussão mundial e disse que as informações sobre o caso são de interesse da sociedade.

Fonte: Correio Braziliense

Sites e Blogs

Deixe um comentário