Itaipu é bicampeã de produção mundial

A Itaipu Binacional deve bater, pelo segundo ano consecutivo, o seu próprio recorde de produção de energia elétrica e estabelecer uma nova marca mundial para o setor. A previsão é que nesta segunda-feira (30), a hidrelétrica ultrapasse a marca anterior e registre, no acumulado do ano, aproximadamente 98,5 milhões de megawatts-hora (MWh) de geração, ante 98.287.128 MWh (98,2 milhões de MWh), em 2012.

Nesta manhã a hidrelétrica registrava uma produção de 98.171.097 MWh. Nesse mesmo período em 2012, Itaipu acumulava uma geração de 97.847.599 MWh. Para atingir o recorde, a usina precisa gerar pouco mais de 100 mil MWh. De acordo com a programação prevista pela Operação, isso deve acontecer entre a tarde e a noite desta segunda-feira.

Esta será a primeira vez na história, em 29 anos de operação, que a usina torna-se bicampeã consecutiva em geração de energia elétrica, com recorde sucessivo de geração anual. Em 2013, a usina hidrelétrica chinesa de Três Gargantas, que chegou a ameaçar o título da binacional no ano passado, não foi páreo para Itaipu. A produção da chinesa ficou em torno de 10% menor quando comparada à da brasileiro-paraguaia.

Em 2012 e 2013, Itaipu não só estabeleceu novas marcas mundiais, mas também deu um grande salto de geração em relação a anos anteriores. A vantagem do biênio é de quase 4 milhões de MWh em comparação a 2008, penúltimo recorde anual da usina, quando Itaipu registrou 94.684.781 de MWh. O maior volume produzido em um ano, antes disso, foi em 2000, quando Itaipu gerou 93.427.598 de MWh.

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, atribui a superação do próprio recorde de geração à boa gestão dos recursos disponíveis e ao comprometimento dos próprios empregados. “A Itaipu vai continuar empenhada para atender as necessidades do setor elétrico do Brasil e do Paraguai e ajudar a garantir o desenvolvimento econômico dos dois países irmãos”.

O superintendente de Operação, Celso Torino, ressalta que a média de produção do biênio (recordes de 2012 e 2013) é 7 milhões de MWh superior à dos últimos cinco ou dez anos. Esse incremento, explica, “é equivalente a 50% do consumo anual da cidade do Rio de Janeiro”.

“Aprendemos muito ao longo desses quase 30 anos de produção. Além da gestão interna, melhoramos a coordenação e a otimização dos trabalhos entre Itaipu e empresas parceiras, como a Eletrobras, a Ande (estatal paraguaia), o Operador Nacional do Sistema (ONS), Furnas Centrais Elétricas e a Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel)”, diz.  E complementa: “O resultado final é energia na quantidade e na hora certa”.

A usina de Itaipu é, atualmente, a maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia. Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de potência instalada, forneceu, agora em 2013, algo em torno de 16,9% da energia consumida no Brasil e 75% do consumo paraguaio. A produção acumulada do período de 1984 a 2013 totaliza 2.135.500.000 MWh.

Principais comparativos da geração de 2013

Estado do Paraná

Os 98,5 milhões de MWh produzidos por Itaipu seriam suficientes para suprir todo o consumo de energia elétrica do estado do Paraná por três anos e oito meses;

· Consumo de energia elétrica anual de 21 cidades do porte da grande Curitiba;

· Consumo de energia elétrica anual de 140 cidades do porte de Cascavel;

· Consumo de energia elétrica anual de 73 cidades do porte de Londrina;

· Consumo de energia elétrica anual de 185 cidades do porte de Foz do Iguaçu.

Outros estados e regiões brasileiras

· Consumo de energia elétrica do Brasil por 79 dias;

· Consumo de energia elétrica da região Sul por 1 ano e três meses;

· Consumo de energia elétrica da região Sudeste por cinco meses;

· Consumo do Estado de São Paulo por oito meses e 24 dias;

· Consumo da cidade de São Paulo por três anos e três meses;

· Consumo da cidade de Campinas por 31 anos;

· Consumo da cidade do Rio de Janeiro por seis anos e sete meses.

No mundo

. Seria suficiente para suprir o consumo do mundo por aproximadamente dois dias;

· Consumo anual de energia elétrica da América Latina, excluindo o Brasil, por 89 dias;

· Consumo atual de energia elétrica da Argentina por nove meses e 22 dias;

· Consumo de energia elétrica do Paraguai por oito anos;

· Consumo de energia elétrica do Chile por um ano e seis meses;

· Consumo de energia elétrica da Venezuela por um ano;

· Consumo de energia elétrica de Portugal por um ano e onze meses;

· Consumo de energia elétrica da Alemanha por dois meses;

· Consumo de energia elétrica da França por dois meses e 14 dias;

· Consumo de energia elétrica do Reino Unido por três meses e 12 dias;

· Consumo de energia elétrica da Espanha por quatro meses e 16 dias;

. Consumo anual de energia elétrica da China por sete dias;

· Consumo anual de energia elétrica dos Estados Unidos por oito dias;

· Consumo anual de energia elétrica da Índia por um mês e onze dias;

· Consumo anual de energia elétrica do Japão por um mês e cinco dias.

Deixe um comentário