Isolado

Washington quer ser investigado

Padrinho político do ex-administrador de Taguatinga, Carlos Jales, preso desde o dia 7 pela Operação Átrio, sob suspeita de envolvimento na emissão irregular de alvarás, o deputado distrital Washington Mesquita (PTB) ocupou a tribuna na terça-feira (12), para pedir que seus pares o investiguem.

 

Consciência tranquila

Mesquita integrava a comitiva do governador Agnelo Queiroz, em viagem à Bélgica e à Alemanha, quando a Polícia Civil deflagrou a Operação. “Fui pego de surpresa. Mas peço a todos os parlamentares que, se tiverem alguma coisa que pese contra mim, que a Mesa Diretora use o Regimento Interno, a Comissão de Ética e a Corregedoria para que se manifestem. Estou com a minha consciência tranquila”.

 

Afastamento justo

O parlamentar destacou que o GDF cumpriu o seu papel ao afastar Jales do cargo de administrador. “Essa medida serve até para que o Jales possa se defender. Espero que ele preste todos os esclarecimentos e mostre as suas provas. Não compactuo com nenhum ato de corrupção. Não fui eleito para isso e não estou dentro da Câmara Legislativa para isso. Mas não serei eu a fazer nenhum juízo. Não estou aqui para julgá-lo. Quem tem esse papel é a Justiça”, frisou Mesquita.

Deixe um comentário