Irã homenageia 267 anos de Luziânia (GO)

         A cidade de Luziânia (GO), a 70 Km de Brasília, fez uma grande festa na noite de sexta-feira (6), na abertura da exposição A Beleza da Cultura Iraniana e a Mostra do Cinema Iraniano. O evento aconteceu na tradicional Praça Nirson Carneiro, no centro, e contou a presença do embaixador do Irã no Brasil, Mohammad Ali Ghanezadeh Ezabadi.

O prefeito de Luziânia, Cristovão Vaz Tormin, agradeceu a cortesia da embaixada dentro das comemorações do 267º aniversário da cidade. Já o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcos Melo, lembrou que o Irã é o quarto maior comprador estrangeiro da produção do município, principalmente grãos (milho e soja), ficando atrás apenas da China, do Japão e do Vietnã.

Segundo o secretário, Luziânia é o maior exportador de soja, milho e algodão de Goiás para o Irã. Entre janeiro e outubro, o município faturou U$ 400,7 milhões na venda dessas commodities para o exterior. “Estamos trabalhando para aumentar nosso rol de compradores e temos contatos bastante avançados com países como Sudão, Iraque, Romênia, Arábia Saudita e Portugal”, adiantou Melo.

Turismo na Pérsia é viajar na história

Com uma história de mais de 7 mil anos, o país persa é declarado Patrimônio da Humanidade. Considerado um grande museu a céu aberto, o Irã oferece um dos turismos mais baratos do mundo. Uma diária em um hotel cinco estrelas não chega a 100 dólares, enquanto em países da região pode chegar a centenas de dólares.

Está nos planos do novo governo iraniano de Rhoani divulgar o turismo do país em diversas partes do mundo, oferecendo visitas a milhares de sítios arqueólogos, hotéis de luxo, segurança e preço barato.

Com quase quatro milhões de turistas este ano, o Irã espera que com o investimento e divulgação no exterior dos seus sítios históricos, todos tombados pela Unesco como Patrimônio da Humanidade, esse número venha a crescer.

Quanto à segurança, a menos que Israel cumpra a apocalíptica ameaça de jogar uma bomba atômica, as cidades vivem uma placidez bucólica, mesmo enfrentando o excesso de carros nas ruas, como frisou o jornalista Leite Filho, que esteve no país em 2010 com um grupo de blogueiros.

O título de grande museu a céu aberto vem devido aos seus sítios arqueológicos, onde se destacam Persepolis, fundada em 518 a.C por Dario, o Rei dos Reis; Nagsh-eJahan, Meidan Emam, construído por Shah Abbas I, o Grande, no principio do séc. XVII; Tchogha Zanbil, As ruínas da cidade sagrada do império elamita, cercada por três mulheres concêntricas. Fundada em 1250 a.C., Pasárgada, que foi a capital do Império Aquemênida. Fundada por Ciro II, o Grande, em Pars, terra natal dos persas, no séc. VI a.C. Bam e sua Paisagem Cultural se situam num ambiente desértico no extremo sul do planalto iraniano. Suas origens datam do período aquemênida (seis a quatro séculos a.C.). Takht-e Soleyman, este sítio tem grande importância simbólica. Os desenhos do templo do fogo e do palácio, e também o modelo artístico geral influenciaram fortemente o desenvolvimento da arquitetura islâmica.

 Em Soltaniyeh, o Mausoléu de Oljaytu foi construído entre 1302 e 1312 na cidade de Soltaniyeh, capital do ilcanato, fundada pelos mongóis, e em Behistun, localizada ao longo da antiga rota comercial que liga o planalto iraniano a Mesopotâmia; possui vestígios dos tempos pré-históricos, dos períodos Meda, Aquemênida, Sassânida e ilcanato.

O inverno iraniano, de novembro a fevereiro, é outro atrativo a ser explorado. Com diversas estações de esqui e teleféricos, o rigoroso inverno com neve em boa parte do período é um convite para esquiadores não só do país como de várias partes do mundo.

Mas se engana quem pensa que o Irã é só antiguidade. Com o maior PIB do Oriente Médio, o país é hoje um dos mais avançados em tecnologia. Das suas fábricas saem aviões, carros, máquinas agrícolas, navios, armamentos e envio de satélites ao espaço. Tudo isso faz do país persa um dos mais avançados nessa área na região.

Com o lançamento de foguetes ao espaço em estágio bem avançado, os cientistas do país acreditam que até o final de 2014 terão condições de enviar uma nave tripulada ao espaço.

 

Orlando Pontes (*)

(*) Colaborou Valter Xéu, editor dos portais Pátria Latina e Irã News

Deixe um comentário