Invasões no Lago do Descoberto

Ocupações irregulares ao redor do Lago do Descoberto podem afetar 30% dos brasilienses, que consomem água potável retirada do reservatório. A pedido do Correio, a Secretaria de Ordem Pública mapeou algumas dessas invasões

Áreas ocupadas em regiões que deveriam ser apenas rurais colocam em risco o lago responsável por parte do abastecimento de água no DF (Bruno Peres/CB/D.A Press)
Áreas ocupadas em regiões que deveriam ser apenas rurais colocam em risco o lago responsável por parte do abastecimento de água no DF

As invasões transformaram o Distrito Federal nos últimos anos. Os núcleos urbanos cresceram sem planejamento, centenas de condomínios foram criados e invasões viraram cidades. Grande parte dos parcelamentos aconteceu em áreas ambientalmente sensíveis e, ainda hoje, a grilagem de terras desafia as autoridades. A multiplicação de ocupações ilegais não afeta apenas quem vive próximo a elas. Ameaça também quase dois terços dos brasilienses, que recebem água potável vinda do Lago do Descoberto. Aos poucos, a área ao redor do maior reservatório do DF se transforma em urbana e a quantidade de pessoas que vivem ali pode comprometer o abastecimento futuro da capital do país.


A água do Rio Descoberto foi represada em 1974 e a barragem deu origem a um lago de 14,8 km² de extensão às margens da BR-070 — rodovia que liga Brasília a Águas Lindas. O Lago do Descoberto fica encravado no Núcleo Rural Alexandre Gusmão, entre Ceilândia e Brazlândia, e as chácaras que ficam em volta do espelho d’água pertencem aos Incras 6, 8 e 9. Ao redor do lago, a área é rural.


Fonte: Correio Braziliense

Extratos dos Jornais

Deixe um comentário