Intervenção francesa no Mali

A intensificação de combates no Mali após a intervenção militar francesa não provocou um fluxo maior de refugiados aos países vizinhos até o momento, mas a situação humanitária é muito difícil em várias cidades do norte, declarou nesta sexta-feira a comissária europeia Kristalina Georgieva, em seu retorno de Bamako.


“As pessoas que deixam as zonas de combates são tantas, entre 6.000 e 8.000, o que não é muito se levarmos em conta o número de refugiados e deslocados diante da nova ofensiva militar” para expulsar os grupos armados deste país do noroeste da África, informou Goergieva à imprensa.


A União Europeia anunciou esta terça-feira o desbloqueio de 20 milhões de euros suplementares de ajuda, sobretudo para lutar contra a desnutrição que afeta milhões de pessoas, a maioria crianças.


Três semanas depois de iniciada a intervenção militar no Mali, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) avaliou que até 23 de janeiro foram registrados 5.486 refugiados na Mauritânia, 2.302 em Burkina Faso e 1.578 no Níger.


Fonte: France Press

Sites e Blogs

Deixe um comentário