HRAN realizou 240 cirurgias de redução de estômago em 2013

O Setor de Cirurgia Bariátrica do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) operou, em média, 20 pacientes por mês em 2013. A meta para este ano é realizar 200 cirurgias de redução de estômago. A fila de pacientes prontos para o procedimento hoje, no Distrito Federal, é de 90 pessoas.

 

O tratamento pré-cirúrgico leva, em média, dois anos, e o tempo para o pós-operatório também deve ser o mesmo. Para a psicóloga que compõe a equipe multidisciplinar da cirurgia bariátrica do HRAN, Idalice Resende, todos os pacientes devem participar de, no mínimo, oito encontros em grupos só para o tratamento psicológico. “Este é o tempo mínimo para ajudarmos a dosar fatores para que o pós-cirúrgico tenha sucesso, como, por exemplo, os estímulos que os levam a comer sem controle,”, afirmou.

 

Idalice explica que o corpo do paciente passa por mudanças muito bruscas após a cirurgia, o que interfere nos “costumes mentais” dele. “Se antes ele se satisfazia com um enorme prato de comida, isso não era apenas pela quantidade. O estímulo visual influencia significativamente nos costumes dessa pessoa”.

 

Para o coordenador da unidade, Rafael Galvão, a periodicidade dos encontros antes e depois da cirurgia é o segredo para que o procedimento seja bem-sucedido. “É nesses encontros que eles fecham o ciclo do que é feito em mesa de cirurgia. Fazemos questão de acompanhar o paciente em todas as áreas contempladas na Unidade”.

 

Instalações – O HRAN conta com um moderno centro para o tratamento bariátrico. São usadas cinco salas de cirurgia por semana, seis consultórios multidisciplinares e para o pós-tratamento. Cerca de 20 profissionais são exclusivos para a área, que conta com as especialidades de psicologia,nutrição, endocrinologia, cirurgia geral, cirurgia bariátrica, cirurgia plástica e fisioterapia.

 

O hospital também tem o único centro do Brasil que realiza as três modalidades de cirurgia bariátrica (Sleeve, Bypass e Banda Gástrica) por videolaparoscopia, que é a cirurgia minimamente invasiva, ou seja, sem incisões. Todo segundo sábado do mês, no auditório do HRAN, são expostas todas as vantagens e desvantagens de cada modalidade da cirurgia aos pacientes, e a escolha da técnica é feita em conjunto com a equipe e o paciente.

 

A “porta de entrada” para a realização da cirurgia bariátrica é a consulta com um endocrinologista da rede. O paciente interessado em dar início a esse processo deve procurar o Centro de Saúde mais próximo à sua casa e solicitar um exame com o profissional. Se for detectada a necessidade para a cirurgia, esse médico encaminhará o paciente para o Setor de Cirurgia Bariátrica do HRAN, que dará início aos tratamentos pré-operatórios.

Fonte:

Deixe um comentário