Hospital São Francisco inaugura 10 leitos de UTI de última geração

Hospital São Francisco foi inaugurado há 24 anos e, em 2020, inicia modernização e expansão da estrutura. Foto: Júlia Bandeira/Divulgação

O Hospital São Francisco (HSF) acaba de disponibilizar dez novos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), que passam a integrar a estrutura de atendimento clínico da instituição, inaugurada há mais de duas décadas em Ceilândia. Essa é mais uma medida dentro de um projeto ousado de ampliação do atendimento e modernização de equipamentos e espaços físicos.

Os novos leitos estarão disponíveis para a população a partir de segunda-feira (4 de maio). Com a inauguração das 10 unidades, o hospital passa a contar com 34 leitos de UTI, distribuídos em UTI Neonatal, UTI Pediátrica e UTI Adulto. Os novos espaços de internação são individuais, no formato suítes, confortáveis e humanizadas, possibilitando a presença do acompanhante do paciente em período integral.

O investimento empregado nos novos locais para tratamentos intensivos foi de mais de R$ 5 milhões. As UTI foram construídas em apenas 45 dias. “Foi um esforço gigantesco e recompensador para servir à população no momento de crise da covid-19, em que leitos de UTI são diferenciais de excelência para salvar vidas”, conta dr. Fumihiko Yuge, médico e presidente do HSF.

OMS – Com o acréscimo de leitos de UTI, a possibilidade de atendimentos de pacientes com necessidade de maior atenção apresenta crescimento como nunca visto na região. Tal fator aumenta em 42% a capacidade de atendimento do hospital.

Com as 10 novas UTI, o HSF passa a oferecer 34 leitos de terapia intensiva para a população de Ceilândia e região. Foto: Júlia Bandeira/Divulgação

A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é a de, no mínimo, um leito para cada dez mil habitantes. Assim, os dez novos leitos de UTI do Hospital São Francisco passam a ter capacidade de atendimento para mais 100 mil habitantes.

Para o dr. Fabrício Rigonato, médico intensivista e chefe dos Serviços de UTI do HSF, o acréscimo de leitos no hospital é um fator de extrema importância para os usuários das regiões próximas. “É importante destacar que a Ceilândia tem três hospitais: o HSF, que tinha 24 leitos de UTI e passa para 34; o HRC e HC, cada um com 20 leitos. Ou seja, a cidade tinha 64 leitos de UTI e passa a ter 74, um incremento de 15% no setor”, contabiliza.

Humanização – Não se trata apenas de elevação dos números dentro da cidade. Os serviços oferecem diferenciais voltados à humanização da atenção ao paciente e, em concomitância, da família dos assistidos.
“Vale ressaltar que os bons resultados assistenciais do Hospital São Francisco – conforme série histórica demonstrando mortalidade e tempo de internação abaixo daqueles observados em serviços internacionais de qualidade –, agrega, neste momento de crise sem precedentes, mais dez leitos humanizados, amplos, com telemetria e capacidade de atender alta complexidade, e que, ao mesmo tempo, favorece o aconchego familiar”, diz dr. Rigonato.

Batalha contra a covid-19

O estado de pandemia exige atenção redobrada para que menos pessoas sejam acometidas pela doença covid-19, transmitida pelo novo coronavírus. Os impactos do vírus no mundo estão sendo percebidos por toda a população, todos os tipos de empresa e em todos os países, sejam eles desenvolvidos ou não.

Excelência: Hospital conta com profissionais de alto nível, como o chefe da UTI, Dr. Fabrício Rigonato, e a enfermeira supervisora, Erica Bruna dos Santos. Foto: Divulgação

Mas é bem verdade que quem emprega motivação e lança mão de busca por resultados positivos neste período consiga reduzir os danos. Investir em crescimento e ampliação é uma aposta em valores e fomenta a missão do HSF em atender mais e melhor à população.

“O Hospital São Francisco é o primeiro e maior hospital privado de Ceilândia. A cidade, assim como as regiões circunvizinhas, não param de crescer, e o hospital precisa acompanhar esse crescimento. Ao longo de 24 anos crescemos ano a ano e sempre fizemos investimentos em ampliação das edificações, modernização das instalações e equipamentos, bem como em capacitação constante de nossos colaboradores, de modo que hoje somos referência em serviços de excelência em saúde”, afirma dr. Fumihiko.

O momento pede atenção. O público merece qualidade e satisfação em situações como a atual. “Agora não seria diferente, é com imensa satisfação que entregamos à cidade e região esses novos leitos de UTI amplas modernas, com uso de tecnologia de ponta, e que não deve nada aos melhores hospitais do País”, conclui dr. Fumihiko.

Parceria com o GDF

No intuito de contribuir com a população do Distrito Federal, o HSF firmou contrato com a Secretaria de Saúde do DF para prestar serviços de UTI para pacientes provenientes da rede pública de saúde. São dez leitos de UTI dedicados ao tratamento de pacientes críticos, inclusive os portadores de covid-19.

“A população de Ceilândia, cidade-satélite mais populosa do DF, merece iniciativas que promovam a excelência no cuidado à sua saúde, é nesse sentido que o HSF reafirma seu compromisso com a população”, finaliza dr. Rigonato.

Especialistas e atendimento de primeira linha

O HSF conta com corpo clínico composto por mais de 200 profissionais muito bem capacitados e instalações de primeira linha. Foto: Júlia Bandeira/Divulgação

O HSF conta com corpo clínico composto por mais de 200 profissionais muito bem capacitados e instalações de primeira linha. Aparelhos de alta tecnologia, hotelaria e ambientação confortáveis, além de ser um dos mais modernos do DF. Atende a 44 Planos de Saúde e Convênios, entre os quais, Bradesco Saúde, SulAmérica, Geap, Postal Saúde, Amil, Cassi, Unimed, Casec, BBB Saúde, STM e Capesesp.

Entre as mais de 40 especialidades oferecidas estão Alergologia, Angiologia e Cirurgia Vascular, Cardiologia, Cirurgia Geral, Plástica e Vascular, Dermatologia, Geriatria, Endocrinologia, Ginecologia/Obstetrícia, Infectologia, Mastologia, Neurologia, Oftalmologia, Ortopedia, Pediatria e Pneumologia.

Deixe um comentário